segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Padres pedem ajuda de deputados para sanar ondas de invasões e vandalismo em igrejas católicas


Líderes de igrejas católicas que foram palco de vandalismo em Campo Grande pediram ajuda aos deputados estaduais para que o problema seja solucionado.

“O Governo do Estado, o poder público, está vendo o que tem acontecido, não é possível que eles não saibam. Vou pedir reunião com secretário de segurança [Antonio Carlos Videira] para que isso seja resolvido”, afirmou o deputado Paulo Siufi (MDB).

De acordo com Siufi, padres pediram a ajuda do parlamentar para chamar atenção das autoridades na solução do problema. Só neste ano, mais de cinco igrejas católicas já foram invadidas por vândalos, além de uma evangélica, da Assembleia de Deus.

“O problema é que eles não levam nada de valor financeiro, mas eles atacam a nossa fé. Eles levam crucifixo achando que é de ouro só porque é dourado, quebram o sacrário e jogam as hóstias no chão”, reclamou o parlamentar.

Deputados se manifestaram durante sessão de quinta-feira (23) e decidiram abrir comissão para dar início a ações que possam resolver o problema. “Antes eram fatos que não chocavam muito por serem situações individuais, mas a partir do momento que envolve templos sagrados, a situação fica mais séria”, defendeu o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Junior Mochi (MDB).

Segundo Siufi, as igrejas que já foram alvo de vandalismo são: Catedral Santo Antonio, São Francisco de Sales (bairro Ana Maria do Couto), Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Moreninhas), Paróquia Santa Rita de Cássia (bairro Universitário) e Nossa Senhora da Saúde (Vila Ipiranga).

Um dos padres que pediram apoio aos parlamentares, Paulo Halber, da Paróquia São Francisco de Sales disse que estão cogitando comprar aparelhos de segurança para inibir a ação dos criminosos.

“A comunidade tem que recuperar o que foi roubado nessas três últimas igrejas que dá em torno de R$ 10 mil, além de R$ 6 mil que vamos precisar para colocar os alarmes. Começamos a pensar como conseguiremos esse dinheiro, porque é um lugar pobre, não temos em caixa, vivemos de doações”, lamentou o pároco.

OUTROS CASOS

O deputado Siufi, frequentador da Paróquia Perpétuo Socorro, relatou que devido às intensas novenas que ocorrem, geralmente às quartas-feiras, o templo já foi alvo de ladrões que chegaram a levar todo o recurso arrecadado em uma das novenas. "As reuniões começam as 6h e vão até às 23h e eles sabendo disso, já chegaram a levar os valores dos dízimos e ofertas, mas nós nos mobilizamos e nunca mais aconteceu isso", lembrou Siufi.

O parlamentar disse também que, anteriormente, a Paróquia São João Bosco era cenário de vários casos de sequestros. "Eles [criminosos] levavam os jovens para roubar dinheiro nos caixas eletrônicos. Graças a Deus nunca fizeram nada com as jovens. Por esse motivo eu proíbi meus filhos de frequentarem lá", declarou.
__________________
Front Católico