sábado, 1 de setembro de 2018

Frei dominicano faz duras advertências a jesuíta que aprova relações homossexuais


Frei Nelson Medina, sacerdote dominicano, escreveu uma dura advertência ao Pe. James Martin, jesuíta que aprova as relações homossexuais.

Em uma carta aberta publicada em seu site, Frei Nelson assegurou ao sacerdote jesuíta que “você pode dizer o que diz porque está onde está. E você está onde está porque há poderosos prelados que lhe dão ilimitado apoio e o promoveram uma e outra vez”.

“Entretanto, eles não estarão para sempre nem seu apoio durará para sempre”, garantiu.

Pe. James Martin, que desde 2017 foi nomeado pelo Papa Francisco como um dos consultores da Secretaria de Comunicação do Vaticano e é diretor da revista jesuíta “America”, expressou reiteradamente sua aprovação às relações homossexuais.

Ao participar recentemente como palestrante no Encontro Mundial das Famílias 2018, em Dublin (Irlanda), Pe. Martin fez um apelo a “não reduzir as pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais) ao chamado à castidade que todos compartilhamos”.

“As pessoas LGBT trazem dons especiais à Igreja, como qualquer grupo”, assegurou e criticou os pastores “homofóbicos”.

Em sua carta aberta, Frei Nelson assegurou ao sacerdote jesuíta que, “no momento apropriado, segundo a providência de Deus, a verdade brilhará forte e a genuína misericórdia se oferecerá de novo”.

“Misericórdia não é aprender a viver ao lado do pecado, mas sim vencer o pecado mediante o arrependimento e a conversão, como Santo Inácio ensinou muito bem”, recordou.

O frei dominicano sublinhou que “um pecado é um pecado, com todo açúcar que se lance sobre ele, ou sob camadas e camadas de retórica bem elaborada”.

“E cada pecador merece ser guiado à plena luz do Evangelho, sem importar o quanto fora de seu alcance possa lhe parecer a princípio”.

“James: muitos de nós estamos rezando por vocês”, concluiu.

Confira a carta na íntegra:

James Martin, SJ:

Você pode dizer o que diz porque é onde está. E você está onde está porque há prelados poderosos que lhe dão apoio ilimitado e o têm promovido repetidas vezes. No entanto, eles não estarão lá para sempre nem o seu apoio durará para sempre.

No momento apropriado, de acordo com a providência de Deus, a verdade brilhará e a genuína misericórdia será oferecida novamente. A misericórdia não é aprender a viver ao lado do pecado, mas a vencer o pecado através do arrependimento e conversão, como Santo Inácio ensinou muito bem.

Porque um pecado é um pecado, com todo o açúcar que é jogado nele, ou sob camadas e camadas de retórica bem trabalhada. E todo pecador merece ser guiado na plena luz do Evangelho, não importa quão fora do alcance possa parecer a princípio.

James: Muitos de nós estamos orando por você.

James Martin, SJ, é um dos promotores mais visíveis do lobby LGBTI dentro da Igreja Católica. Veja aqui por exemplo.
____________________________
Com informações: ACI Digital