quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Chile: Papa expulsa do estado clerical sacerdote acusado de abusos


O Papa Francisco decretou, de forma inapelável, a expulsão do estado clerical de Pe. Cristián Precht, acusado de abusos a menores no Chile.

Assim notificou ao Arcebispo de Santiago, Cardeal Ricardo Ezzati, o Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Cardeal Luis Ladaria.

Com data de 12 de setembro, indica o comunicado da Arquidiocese de Santiago, “o Santo Padre decretou, de forma inapelável, a demissão do estado clerical 'ex officio et pro bono Ecclesiae' e a dispensa de todas as obrigações unidas à sagrada ordenação do reverendo Cristián Precht Bañados”.

O mesmo decreto estabelece que “o bispo comunique rapidamente a nova situação canônica do afetado ao povo de Deus".

Em 2012, a Congregação para a Doutrina da Fé já havia decretado como culpado de abusos Cristián Precht, por isso, a Arquidiocese de Santiago o suspendeu durante cinco anos.

As acusações contra ele começaram em 2011. O resultado do processo penal estabelecia “a comprovação dos comportamentos abusivos mencionados e a conformidade com o pedido de revogar a prescrição, devido à gravidade dos acontecimentos denunciados".

Pe. Precht é um sacerdote que defendeu os direitos humanos durante a ditadura de Augusto Pinochet. Foi um dos fundadores do Vicariato da Solidariedade, uma instituição criada para ajudar as vítimas do regime.

Além disso, foi um dos fundadores do Vicariato da Esperança Jovem, em 1991, para incentivar a pastoral juvenil.
__________________
ACI Digital