segunda-feira, 20 de abril de 2015

História e presença da Igreja Sírian Ortodoxa de Antioquia em São Luís


Igreja Sírian Ortodoxa de Antioquia

No dia 27 de julho de 2012, Sua Eminência Mor José Faustino Filho, em comum acordo com os demais hierarcas do Brasil, proclamou durante o XVIII Sínido Ortodoxo Nacional realizado em Brasília – DF a aprovação da criação da Comunidade Santo Efrém, na cidade de São Luis do Maranhão, ficando esta a partir de então formalmente e reconhecidamente pela Igreja sob coordenação do então vocacionado Pablo e acompanhamento espiritual do corepíscopo Francisco Vale, do Santuário Theotokos, no Piauí.

Desde então a nascente comunidade na capital do Maranhão (fruto de um trabalho missionário realizado desde 2008) passou por grandes transformações, especialmente marcadas pela inauguração da Capela Sirian Ortodoxa Santo Efrém em outubro de 2013 com a presença do Raban Cristiano Lopes e pela recém visita de Sua Eminência Mor José Faustino pela primeira vez ao Maranhão, acompanhado do vigário geral da Igreja no Brasil abuna Paulo Milton Justus.[1]

A Igreja Ortodoxa Siríaca no Brasil[2]


A Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia chegou ao Brasil na década de 1950 com os imigrantes sírios e libaneses (a maioria cristãos ortodoxos ou maronitas) que formaram colônias e trouxeram suas comunidades religiosas para manter viva não somente sua cultura e língua, mas também a forma de crer e rezar de seus países de origem. O Maranhão, apesar de possuir um dos maiores números de descendentes de sírios e libaneses do Brasil, não formou colônias e nem comunidades religiosas, ao contrário de estados como São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. Porém, com o tempo, os brasileiros começaram a conhecer a Igreja e sua forma de viver a fé cristã, começando então a fazer parte de suas comunidades, sendo hoje a Igreja Sirian Ortodoxa no Brasil uma Igreja não só para imigrantes, mas para todos, presente em 15 estados brasileiros e hoje, inclusive, no Maranhão.
A Igreja Ortodoxa Siríaca nas Escrituras


A Igreja Sírian Ortodoxa de Antioquia (ou Igreja Ortodoxa Siríaca), é uma igreja ortodoxa oriental que, segundo sua tradição, é a mesma Igreja de Antioquia que encontramos na Bíblia. Esta Igreja é a mais antiga de toda cristandade, depois de Jerusalém. Foi fundada pelos apóstolos São Paulo e São Barnabé no ano 34 d.C, como encontramos no Novo Testamento, que afirma ter sido na cidade de Antioquia onde os seguidores de Cristo foram chamados pela primeira vez de “cristãos” (Atos 11, 26). Foi também em Antioquia que São Pedro foi bispo pela primeira vez, sendo então considerado o primeiro Patriarca da Igreja Ortodoxa Siríaca e do qual seguiu-se uma sucessão ininterrupta de patriarcas legitimamente sucessores de São Pedro na Santa Sé de Antioquia.

A palavra “Sirian” é usada desde o início para referir-se à Igreja de Antioquia, que tem como língua litúrgica o “siríaco” (aramaico), que era o idioma que o próprio Cristo falava, bem como sua mãe e os apóstolos. No Brasil (e em São Luis não é diferente), além do português, a Igreja utiliza nas celebrações e liturgias o idioma siríaco (aramaico) como forma de manter viva a tradição oriental da Igreja. É também na capital da Síria, na bíblica cidade de Damasco, que está a sede do patriarcado da Igreja Ortodoxa Siríaca, onde reside o Patriarca de Antioquia.

A Igreja Ortodoxa Siríaca em São Luís


A história da Igreja Sírian Ortodoxa em São Luís começou quando em meados de 2008 um pequeno grupo de jovens reuniu-se para estudar história da Igreja na casa de um amigo, pois buscavam aprofundar-se nas raízes da fé cristã. Com o tempo, depararam-se com o oriente cristão e com Igrejas não tão conhecidas por nossas bandas tupiniquins, mas testemunhas do autêntico cristianismo pregados pelos apóstolos de Cristo desde o primeiro século: as Igrejas Ortodoxas Orientais.

Era plantada então a semente daquela que, somente em julho de 2012, fora canonicamente erigida como Comunidade Santo Efrém, a primeira comunidade ortodoxa oriental de São Luis, que reunia-se num pequeno oratório residencial. Foram quatro anos de idas e vindas, estudando, rezando e buscando discernimento, afirma Pablo, atualmente diácono da comunidade, que diz que “por não termos origem ortodoxa e em São Luis não existir uma Igreja, nosso receio tínhamos muito receio de nossa caminhada não continuar”. Após decidirem de fato formar uma comunidade, a Igreja no Brasil acolheu o pedido do grupo e nomeou um sacerdote de Teresina – PI para conhecer o grupo e avaliar o potencial da pretensa comunidade. 

Desde então, antes mesmo na instituição “oficial”, a Comunidade Santo Efrém é acompanhada pelo monsenhor Francisco Vale, que mensalmente vem a São Luis para celebrar Missas e demais sacramentos, além de dar tutela espiritual. Em outubro de 2012, com a ordenação do diácono Pablo, a comunidade ganhou então um coordenador local de suas atividades, que paralelamente recebe formação teológica segunda a Tradição ortodoxa siríaca.

Ordenação Subdiácono

Em agosto de 2013, após anos se reunindo em um espaço improvisado dentro de casa, onde eram realizados os Ofícios e Missas, a comunidade recebeu “emprestado por tempo indeterminado” um espaço onde puderam finalmente montar sua capela, que recebeu o nome de Capela Sirian Ortodoxa Santo Efrém. Ela foi inaugurada em outubro de 2013 com a celebração da Divina Liturgia (Missa) pelo padre Cristiano Lopes, monge e sacerdote da Igreja Sirian Ortodoxa no Brasil, enviado a São Luis para ocasião pelo bispo ortodoxo siríaco Mor José Faustino, um dos três residentes no país.



Na foto acima estão o metropolita ortodoxo Mor José Faustino, arcebispo ortodoxo siríaco do Centro-Oeste, Tocantins e Pará em visita oficial a São Luís representando a hierarquia da Igreja Ortodoxa Siríaca no Brasil no Maranhão, em maio de 2014 em visita a dom José Belisário, arcebispo de São Luís do Maranhão, que foi presenteado pelo hierarca ortodoxo com um ícone de Jesus feito pelo afediácono Pablo, que também se fez presente e que atualmente coordena as atividades da Capela Sírian Ortodoxa Santo Efrém. Acompanhando o bispo ortodoxo estava também o abuna Paulo Milton Justus, sacerdote ortodoxo siríaco e vigário geral da Igreja no Brasil, que na ocasião também presenteou dom Belisário com um livro sobre história da Igreja Ortodoxa Siríaca.

Atualmente os Ofícios e Liturgias são semanalmente celebrados na Capela Sirian Ortodoxa de Santo Efrém, onde a comunidade reúne-se também para momentos de formação catequética e confraternizações. Os ofícios são rezados três vezes por semana, com dias e horários listados abaixo:

Quarta-feira: às 19h30
Sexta-feira: às 19h30
Domingo: às 09h00 (manhã)

A Divina Liturgia (Santa Missa) é celebrada uma vez por mês, por ocasião da visita de nosso orientador espiritual Monsenhor Vale, do Santuário Mãe de Deus em Teresina – PI.

Mons. Vale na Comunidade Santo Efrém, em São Luís

A comunidade, além de suas atividades religiosas e de fomento ao resgate cultural dos imigrantes sírio-libaneses dispersos no Maranhão, também realiza trabalhos de caridade em bairros carentes de São Luis e é membro do Conselho Ecumênico do Maranhão (CEM) cujo objetivo é o testemunho comum das igrejas cristãs em nosso estado em favor da paz e da justiça social.

CREDO DA IGREJA SIRIAN ORTODOXA DE ANTIOQUIA[3]


CREDO NICENO-CONSTANTINOPOLITANO

Nossa crença é bem definida pelo Credo Niceno-Constantinopolitano, que é a declaração de fé definida pelos Santos Padres reunidos na cidade de Nicéia, no ano de 325 d.C, durante o 1° Concílio Ecumênico da Igreja. Esta é a declaração de fé de todas as Igrejas Orientais, sejam greco-ortodoxas, sirian ortodoxas, Copta Ortodoxa e da Igreja Apostólica Armênia. Somente a Igreja Católica Romana possui uma alteração no texto desta que é a declaração de fé original das Igrejas de origem apostólica.

Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso,
Criador do céu e da terra,
de todas as coisas visíveis e invisíveis.
Creio em um só Senhor, Jesus Cristo,
Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai
antes de todos os séculos:
Luz da Luz,
Deus verdadeiro de Deus verdadeiro,
gerado não criado, consubstancial ao Pai.
Por Ele todas as coisas foram feitas.
E, por nós, homens,e para a nossa salvação, desceu dos céus:
e encarnou pelo Espírito Santo,
no seio da Virgem Maria e se fez homem.
Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos;
padeceu e foi sepultado.
Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as escrituras;
E subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.
E de novo há de vir, em sua glória, para julgar os vivos e os mortos;
e o seu reino não terá fim.
Creio no Espírito † Santo,
Senhor que dá a vida, e procede do Pai;
e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado:
Ele que falou pelos profetas.
Creio na Igreja
Una †, Santa, Católica e Apostólica.
Professo um só batismo para remissão dos pecados.
Espero a ressurreição dos mortos;
E a vida do mundo que há de vir.
Amém.

TRADIÇÃO APOSTÓLICA E ESCRITURAS SAGRADAS

Cremos das Sagradas Escrituras e na Santa Tradição, confiada aos apóstolos pelo próprio Cristo e repassada sem erro aos seus legítimos sucessores, os bispos e patriarcas da Igreja, que até hoje são responsáveis pelo pastoreio do povo de Deus.

TRINDADE, VIRGEM MARIA, SETE SACRAMENTOS E SACERDÓCIO

Cremos na Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, um só Deus Verdadeiro;
Na encarnação de Cristo, o Filho Único e Verbo de Deus do Espírito do Pai,
na sempre e eterna Virgem Maria, Mãe de Deus;
Na continuidade do Estado Puro e Virginal de Nossa Senhora, a Beatíssima Virgem Maria mesmo após o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, o filho de Deus Pai;
Na validade e necessidade do batismo para absolvição do pecado original;
No Milagre da Divina Liturgia (Santa Missa) transformando o Pão e o Vinho consagrados,
no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo;
Na validade da confissão, arrependimento e penitência para o perdão dos pecados;
Na ressurreição dos mortos para a vida eterna. Cremos no poder do sacerdócio, que é único a ministrar os sete sacramentos instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo na Santa Igreja Apostólica.

ESCLARECIMENTOS IMPORTANTES[4]

É muito importante esclarecer que os nossos sacerdotes se diferenciam tanto do clero da Igreja Católica Romana, quanto do clero das Igrejas Ortodoxas de Rito Bizantino. A nossa Igreja é uma das Igrejas Ortodoxas Orientais Antigas, com a mesma validade que a Igreja Católica Romana e as Igrejas Ortodoxas Bizantinas. 

A Igreja Sirian-Ortodoxa não possui nenhum vínculo com nenhuma outra Igreja que se diga Ortodoxa ou Católica.

Com relação à Igreja Católica Romana, não estamos em comunhão plena, por diversas diferenças culturais, doutrinais e disciplinares, mas há uma certa comunhão espiritual. O Papa João Paulo II, de venerável memória e o nosso Patriarca Sua Santidade Mar Ignácio Zaqueu I, assinaram em 1984 uma declaração comum de reconhecimento e colaboração mútua, que afirma que apesar das divisões, nos lugares e situações onde faltar o clero de alguma das duas Igrejas os fiéis sirianos ou católicos romanos poderão solicitar os sacramentos da comunhão, unção dos enfermos e penitência (confissão) ao padre católico ou siriano que estiver a seu alcance, sem que isso implique necessariamente na conversão do fiel à outra Igreja.

Com relação às Igrejas Ortodoxas Bizantinas, ligadas ao Patriarcado de Constantinopla, nós não estamos em comunhão por uma série de fatores históricos, ainda que o nosso desejo seja que um dia isso mude, pois os sirianos (como também os armênios) foram perseguidos e quase dizimados pelos imperadores persas e bizantinos, à exceção de Justiniano I, imperador bizantino, que era casado com uma Siriana, a imperatriz Teodora e que por causa dela tentou ser complacente, todos os demais perseguiram veementemente as Igrejas da Síria e da Armênia, querendo obrigar-nos à força a submeter-nos à autoridade de Constantinopla.

Com relação às Igrejas Apostólica Armênia, da Etiópia e a Copta, estamos em plena comunhão espiritual e sacramental ainda que cada uma tenha a sua própria jurisdição, como Igrejas autocéfalas, ou seja, não dependem umas das outras em termos de autoridade, pois cada uma possui as suas próprias leis e tradições.

Como se pode perceber, somos Católicos, mas não somos Romanos, somos Ortodoxos, mas não somos Bizantinos. Somos então Católicos Apostólicos Sirian Ortodoxos (Rito Antioqueno).

No Brasil, a Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia é, atualmente, membro do CONIC, Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, que é uma associação fraterna de Igrejas que confessam o senhorio de Cristo como Deus e Salvador e “procuram cumprir sua vocação comum para a glória de Deus Uno e Trino, Pai, Filho e Espírito Santo, em cujo nome administram o santo batismo” (DAPNE, 2000, p. 217). 

A Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia é uma unidade eclesial de forma patriarcal e sistema episcopal em submissão e comunhão ao Patriarca Sírio-Ortodoxo Sua Santidade Ignátius Zakka I, Iwas.

LOCALIDADE DA IGREJA SIRIACA NO MARANHÃO[5]

Paróquia Santa Mãe de Deus e São Tiago de Jerusalém

Paróquia Santa Mãe de Deus
e São Tiago de Jerusalém
na Raposa/MA
Pároco: Padre Antonio Carlos Cavalcante
Casa  Paroquial: Av. Régia, 19, Vila Lacir, Cep: 65 138-000 – Raposa-MA
Missas às quartas e domingos

Comunidade Santo Efrém – Capela Sírian Ortodoxa Santo Efrém
Coordenador: Diácono Pablo Neves
Endereço: Rua Projetada, Jardim SM2 nº 160 – Bequimão | São Luis – MA
Tel: (98) 8140 2239
Ofícios comunitários às quartas e sextas (às 19h30) e domingos às 9h da manhã

Comunidade São Pedro
Padre da Comunidade: Padre Manoel de Jesus Ferreira
Casa Paroquial: Rua Largo da Ponte, S/Nº, Bairro Duro, Cep: 65 582-000 – Tutoia-MA

CONTATO[6]

Abaixo listamos alguns contatos relacionados à nossa comunidade. Fique à vontade para nos contactar, visitar-nos e tirar suas dúvidas:

Coordenação em São Luis:
Diácono Pablo
(98) 98140 2239
e-mail: capelasantoefrem@gmail.com

Direção espiritual:
Monsenhor Francisco Vale – Santuário Theotókos – Teresina/PI
(86) 9904 4052
e-mail: corepiscopovale@hotmail.com

Diocese:
Mor Faustino Filho – Bispo diocesano
(62) 3283 1395
e-mail: dom.faustinofilho@gmail.com

COMO CHEGAR








[1] Fonte: Igreja Sírian Ortodoxa de Antioquia
[2] Fonte: Notícias e Sociedade
[3] Fonte: Comunidade Santo Efrém
[4] Fonte: Paróquia Ortodoxa da Santa Ressurreição
[5] Fonte: Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia
[6] Fonte: Comunidade Santo Efrém

Nenhum comentário:

Postar um comentário