quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Francisco não comenta o Relatório Viganò: “Leia e tire suas conclusões”.



Em seu vôo de volta de Dublin onde participou este fim de semana do Encontro Mundial das Famílias, o papa Francisco fez referência na sua conferência de imprensa habitual com os jornalistas que cobrem a viagem, ao relatório publicado em várias línguas pelo Arcebispo Carlos María Viganò , ex-núncio da Santa Sé nos Estados Unidos.

Datado de 22 de agosto, o Monsenhor Viganò assinou um testemunho que relata a situação do agora excardenal Theodore McCarrick e as medidas tomadas por ele pessoalmente, bem como outros clérigos, para que este fosse afastado do ministério sacerdotal por causa de sua vida conhecida atitudes imorais e impróprias de um padre da Igreja Católica, como os atos homossexuais, perversão dos seminaristas, confissões sacrílegas, etc. 

Viganò aponta que o Papa Bento XVI impôs penalidades canônicas a ele e McCarrick foi cortado de todo o ministério. No entanto, com o tempo, Francisco o teria reabilitado, transformando-o em um de seus homens de confiança. Em seu Testemunho, Viganò também explica as complexidades de McCarrick, uma vez reabilitado, para colocar bispos de sua confiança em algumas das dioceses mais importantes dos Estados Unidos. Ao longo das 14 páginas de seu Testemunho, Viganò também denuncia poderosas correntes homossexuais dentro da Igreja . Na parte final de seu Testemunho, Viganò cita os próprios critérios de Francisco sobre a responsabilidade pela ocultação ou omissão em casos de abuso para pedir ao papa a renúncia .

Interrogado por este documento por Anna Mantregna, jornalista da CBS, Francisco disse: “Eu li a declaração esta manhã, leia atentamente a declaração e faça o seu julgamento, não vou dizer uma palavra sobre isso. você mesmo e tem capacidade jornalística suficiente para tirar conclusões. ” O papa ressaltou que “talvez ele fale” sobre isso “quando passar algum tempo”.
____________________________________
Logos Apologética Cristã