sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Convertei-vos a Mim




Convertei-vos a Mim de todo o coração e manifestai a penitência da vossa alma com jejuns, lágrimas e lamentações; porque, se agora jejuais, depois sereis saciados; se agora chorais, depois tereis alegria; se agora vos lamentais, depois sereis consolados. Nas circunstâncias tristes e adversas costumais rasgar as vestes; segundo a narração do Evangelho, assim fez o sumo sacerdote para mostrar a gravidade do crime do Senhor, nosso Salvador, e o mesmo fizeram Paulo e barnabé ao ouvirem palavras blasfemas. Mas eu digo-vos: não rasgueis as vossas vestes; rasgai antes os vossos corações que estão cheios de pecado, como os odres que, se não forem abertos, rebentarão espontaneamente. Convertei-vos ao Senhor vosso Deus, de quem vos afastastes pelas vossas culpas, e não duvideis do perdão, por maiores que sejam os vossos crimes, porque se são grandes os vossos pecados, grande é também a misericórdia divina para os perdoar.

O Senhor é clemente e compassivo; Ele não quer a morte do pecador, mas a sua conversão; é paciente e rico de misericórdia; não é impaciente como os homens, mas espera por longo tempo a nossa conversão; sempre disposto a perdoar, Ele desiste dos males com que nos ameaçava, se nós desistimos do pecado; se nós mudamos de vida, Ele muda a sentença que nos condenava. Quando o Profeta diz que desiste dos males com que nos ameaçava, não se refere evidentemente ao mal moral, mas ao sofrimento, segundo a expressão que lemos noutro lugar: Basta a cada dia o seu mal; e também: Sobreveio à cidade algum mal que não tenha sido mandado pelo Senhor?

E porque diz, como vimos anteriormente, que o Senhor é clemente e compassivo, lento para a ira e rico de misericórdia, e que desiste do castigo, para que a grandeza da sua benevolência não nos torne negligentes acrescenta o Profeta: Quem sabe se Ele muda de parecer e nos perdoa e nos dá ainda a sua bênção? Por isso vos exorto à penitência, diz o Profeta; eu sei que Deus é infinitamente misericordioso, como diz David: Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade; pela vossa grande misericórdia apagai os meus pecados. Mas como não podemos saber até onde chega o abismo das riquezas da sabedoria e da ciência de Deus, prefiro ser mais discreto nas minhas afirmações e dizer simplesmente: Quem sabe se Ele muda de parecer e nos perdoa? E ao dizer quem sabe, dá a entender que se trata de uma coisa impossível, ou, pelo menos, difícil de saber.

Depois fala o profeta em sacrifício e libação para o Senhor nosso Deus; com isto quer ensinar-nos que, depois de nos ter dado a sua bênção e perdoado os nossos pecados, podemos então oferecer os nossos sacrifícios a Deus. 



Do Comentário de São Jerônimo, presbítero, sobre o Livro do Profeta Joel
(PL 25, 967-968) (Sec. V)