quarta-feira, 8 de maio de 2019

Adoração e Idolatria

 
No evangelismo há adoração de Deus?
E os sacrifícios?  (II Reis 17,36)

A Igreja nos ensina que só devemos adorar Deus; esse culto se chama “latria”. Adorar é reconhecimento da Divindade e oferecimento de sacrifício presidido pelo Sacerdote. O Sacrifico da Cruz é oferecido em todas as missas; é o mesmo Sacrifício, mas, incruento.

Aos Santos prestamos nosso culto de veneração chamado “dulia”, a eles não se faz sacrifícios.

À Maria nossa veneração se chama “hiperdulia”, a Ela não se faz sacrifícios. 

O motivo desta celeuma é que externamente, TODOS OS CULTOS SÃO IGUAIS; o que diferencia é o sacrifício (externo) e o coração do fiel (interno).

Se na oração, o fiel está pedindo para a Imagem fazer algo na terra, apesar da imagem representar alguém que já está no céu, é idolatria. Deixa de ser idolatria, quando se pede a quem a imagem “representa” que “interceda” junto a Deus. A ação vai depender única e exclusivamente de Deus.

VENERAR significa ter um respeito muito grande. Os Evangélicos VENERAM a Bíblia, por exemplo, fazem hinos para a bíblia, fazem poesias, etc.

Se Deus fosse contra imagem, porque no Santos dos Santos (1 Rs 6,23-28) havia duas imagens da altura equivalente a um prédio de dois andares, mais ou menos 5 metros (10 côvados)? [1]

A diferença entre a imagem de um santo e um ídolo é que se alguém quebrar a Imagem de um Santo não destruirá a existência do Santo, mas se partir um ídolo, acaba a divindade.

No caso da serpente de bronze (cf. Nm 21,8-9), enquanto ela não ocupou o lugar de Deus, foi cultuada, mas quando as pessoas começam a adorar a estátua como deus-serpente (a quem chamaram de “Neustã”) o rei mandou destruí-la (2 Rs 18,4). [2]



A VERDADEIRA ADORAÇÃO ESTÁ EM SEGUNDO REIS

2Reis 17,36: “Vocês devem cultuar, adorar e OFERECER SACRIFÍCIOS somente a Javé...

A Verdadeira Adoração deve cultuar em espírito e verdade (João 4,23)

A Verdadeira Adoração deve adorar em espírito e verdade (João 4,23)

A Verdadeira Adoração deve OFERECER SACRIFÍCIOS em espírito e verdade (João 4,23)

Isto é, é o Espírito quem inspira em nós a prática na comunhão com a Verdade que é Cristo, o filho de Deus; e se dirige ao Pai.[3] “Pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus” (Romanos 8,14).

No primeiro capítulo do Livro Levítico, Moisés estabelece as leis do sacrifício; todo sacrifício requer um sacerdote, um altar e uma vítima.  Logo, não existe adoração sem sacerdote, sem altar e sem sacrifício. [4]

SACRIFICIO PAGÃO

Gehenna – (Mt 5,22; Mc 9,43) era um vale ao sul de Jerusalém que era utilizado para sacrifícios pagãos de crianças pelo fogo.[5]

Nm 25,1-2; 2Cr 28,23

At 14,12ss Chamavam a Barnabé Zeus e a Paulo Hermes, porque era este quem dirigia a palavra. Um sacerdote de Zeus Propóleos trouxe para as portas touros ornados de grinaldas, querendo, de acordo com todo o povo, sacrificar-lhes.

SACRIFÍCIO CATÓLICO



O Sacrifício de Cristo na Cruz é oferecido a Deus na Santa Missa, este Sacrifício é tornado presente (atualizado, não repetido), de forma incruenta. O centro da Missa é o Sacrifício, oferecido pelo sacerdote na Pessoa de Cristo em benefício de toda a Igreja. 

Nas narrativas da instituição da Eucaristia (Mt 26,26s; Mc 14,22s; Lc 22,19s; I Cor 11,23s) vemos que Nosso Senhor disse que o Pão e o Vinho são Seu Corpo e Seu Sangue (Isto é Meu Corpo; Isto é o cálice do Meu Sangue). 

Na Missa, fazemos memória do Sacrifício de Cristo, tornando-o presente. Se a última ceia, foi uma antecipação do sacrifício, a Missa é a sua perpetuação.

O termo utilizado pelos evangelistas, e que traduzimos por “memória” é anamnese. Tal palavra não é uma simples memória (mnemone), mas um “recordar, tornar presente” (cf. Lc 22,19).

“O sacrifício da Missa é o verdadeiro e o próprio sacrifício da Nova Lei, no qual Cristo é oferecido sob as espécies de pão e vinho pelo sacerdote sobre o altar, em memória e renovação do sacrifício do Calvário.” [6] [7]

Seria possível escrever em grego "isto significa", ou "isto representa"?

Sim, se Jesus quisesse poderia usar “semanei” (em grego) para “simbolizar” ou “significar”. No entanto, a forma usada pelos três evangelistas é "Esti" (em grego), que significa "É". [8]

Se Jesus queria falar em sentido figurado, por que preferiu usar o verbo “ser” aos quarenta verbos figurativos existentes no aramaico? 

Nos versos 52 e 54 de João 6, Jesus falou em “comer” e o verbo correspondente no grego é “phagéin”. A partir do verso 55, porém, o texto grego usa um verbo mais forte: “trógo”, que além de “comer”, quer dizer também “mastigar”, quebrar com os dentes os alimentos mais duros”. Perguntamos: Se Jesus falou em sentido figurado, por que além do verbo “ser”, o texto grego usa um verbo que exige o sentido real das palavras? [9].


SACRIFÍCO DOS JUDEUS[10] 

Gênesis 8,20-21; 22,13
No holocausto, o animal oferecido era queimado no altar LV 1.
Pelo pecado Lv 4,1ss
De reparação Lv 5,14-26
De paz Lv 3
De Louvor Jr 17,26

SACRIFÍCIO PROTESTANTE

Os Evangélicos não oferecem sacrifícios e não têm sacerdotes, portanto, não podem dizer que adoram a Deus. Para eles o Pão e Vinho APENAS representam; põem outro significado na boca de Jesus quando disse: “isto É o meu corpo...”.

Em suas cerimônias proferem apenas palavras. Palavras de louvor, palavras de agradecimento, palavras de pedidos. Palavras cantadas, palavras faladas, discursadas e gritadas etc.

E O SACERDOTE? E O SACRÍFICIO?

IMAGEM = ÍDOLO?

Os Evangélicos acusam o Católico de idólatra; esquecem que somente Deus pode sondar o coração do homem. Com isso os Evangélicos não deixam de serem usurpadores da Onisciência de Cristo; somente Cristo sabe o que está oculto. “Desejar” ou “tomar decisão que denotem ONISCIÊNCIA” também é idolatria.

Os Evangélicos citam Ex 20,4 para acusar católicos de idólatras.

É bom lembrar que a própria Bíblia é uma imagem; a Bíblia é a imagem da Palavra de Deus.

Mas o que é idolatria? Idolatria é prestar a uma criatura honras que são devidas ao Criador, ou considerá-la igual ou superior a Deus.

Detalhe: naquele tempo, a Bíblia não estava separada por capítulos e versículos, assim, para um perfeito entendimento, recorriam ao CONTEXTO; o bom senso delimitava o assunto.


Para um correto entendimento devemos olhar não apenas Ex 20,4 mas o assunto abrangente de Êxodo, capítulo 20, versículo 3 ao 5. Repito, naquele tempo, a bíblia não era separada por capítulos e versículos.

“Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto. Eu sou o Senhor, teu Deus, um Deus zeloso que vingo a iniquidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos daqueles que me odeiam” (Ex 20,3-5). Tal como era a bíblia; sem separação de versículo.

A proibição das imagens dos deuses é inseparável da proibição de adorar outros deuses, já que a tentação era grande de aceitar o deus por sua imagem.

Citam “somente” Ex 20,4, quando na verdade, “escultura e nem...” se refere a “outros deuses” do versículo anterior.

Olhe bem, os versículos 3,4 e 5 falam de “outros deuses”. (considere que a Bíblia não era dividida por capítulos e versículos).

Outros deuses eram representados por esculturas, diante da qual se prostravam e faziam sacrifícios. Devemos ter em mente que os hebreus estavam saindo do Egito, povo embebido de deuses pagãos. Quais seriam esses deuses (Ex 20,4) NO CÉU, NA TERRA e NA ÁGUA, do Egito? [11]

São:
NO CÉU: RÁ, ÍBIS, HÓRUS e TOTH.
NA TERRA: ANÚBIS, ÁPIS, KHEPRA, BABUINO, APÓFIS e BASTETGEB.
NA ÁGUA: SEBEK e TUÉRIS.



José Francisco de Almeida
Possui outros textos no site Pergunte e Responderemos e A Realidade é Cristo


[1] A Palavra Liberta – Pe. Cleodon Amaral de Lima – Editora Rideel – Página 41.
[3] Bíblia Sagrada Ave Maria – Edição de Estudo – rodapé - Jo 4,23
[4] O Sacrifício da Missa acessado em 23/04/19
[5] Bíblia TEB – pág 1197 – rodapé.
[6] O Sacrifício da Missa acessado em 23/04/19
[7] DEL GRECO, Pe. Teodoro da Torre. “Teologia Moral”, Edições Paulinas, São Paulo, 1959; p. 536
[8] Eucaristia: Corpo de Cristo acesso 23/04/19
[10] Deus proibiu a fabricação de imagens  Acesso em 23/04/19
[11] Bíblia Teb – Glossário



6 comentários:

  1. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
    Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.
    E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.

    Êxodo 20:4-6

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. Colocarás a tampa sobre a arca e porás dentro da arca o testemunho que eu te der. Ali virei ter contigo, e é de cima da tampa, do meio dos querubins que estão sobre a arca da aliança, que te darei todas as minhas ordens.”
      Êxodo 25,18

      “E o Senhor disse a Moisés: ‘Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela, será salvo.”
      Números 21, 8-9

      “Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura. Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário."
      I Reis 6, 23-26

      “Eis como eram feitas essas bases: eram formadas de painéis e enquadradas de molduras. Nos painéis enquadrados de molduras, havia leões, bois e querubins, assim como nas travessas igualmente. Por cima e por baixo dos leões e dos bois pendiam grinaldas em forma de festões."
      I Reis 7, 28-29

      Excluir
    2. Esqueci de outro bem importante...
      Cristo é “a imagem de Deus invisível” (Colossenses 1, 15)
      A encarnação de Jesus Cristo tornou possível a representação de imagens. Negar isso seria cair em um judaísmo/farisaísmo mitigado.

      Excluir
    3. Removeu os altos, quebrou as colunas e deitou abaixo o poste-ídolo; e fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés fizera, porque até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã” (2 Reis 18:4).


      Tudo isso demonstra que usar imagens com objetivo de culto, fazer qualquer ritual diante delas, fazer pedidos a elas, agradecer a elas por graças alcançadas, prestar qualquer tipo de louvor, se dobrar diante delas, aponta para uma quebra dos mandamentos do Senhor.

      Deus, em nenhum lugar das escrituras, mandou fazer imagens com objetivo de serem usadas como objeto de culto, pelo contrário, condenou quando isso era feito pelo Seu povo e pelos outros povos

      Excluir
  2. Talvez esse assunto seja pouco degustável, mas sabemos que a idolatria é uma abominação aos olhos de Deus, pois no céu não entrarão os idólatras (Ap. 22.15).

    Sabendo que idolatria é colocar qualquer objeto, pessoa, ou qualquer outra coisa no lugar de Deus, pois devemos adorar, venerar, louvar somente ao Senhor. Tudo aquilo que se interpõe entre nós e Deus é um ídolo.

    O amor ao dinheiro, a vaidade, a soberba e a fama também são ídolos que tem escravizado muitas pessoas. As imagens de esculturas são ídolos que tem sido enraizada na cultura brasileira. Nosso país ama fabricar ídolos e se prostrar diante deles rogando por ajuda.

    Muitos se justificam dizendo que antigamente, nas catacumbas, há registros de pinturas de pessoas, e muitas outras figuras. Muitos também dizem que Deus mandou fazer os querubins de ouro que cobriam a Arca da Aliança.

    Muitos também dizem sobre a serpente que Moisés fez para o povo que perecia no deserto. Porém, ninguém se prostrava diante dessas figuras e imagens para fazer suas preces. Cada uma dessas imagens teve um significado lindo.

    O próprio Senhor Jesus disse em João 3.14,15, que como Moisés levantou a serpente no deserto, importava que Ele fosse levantado para que todo aquele que Nele cresse não perecesse. Quando o povo, que é inclinado a idolatrar as coisas começou a se prostrar diante da serpente, e ela foi destruída pelo rei Ezequias (2Reis 18.3,4)


    Deus abomina toda sorte de idolatria e chama de maldito aquele que a pratica (Dt. 27.15). A idolatria provoca a ira de Deus (Rm. 1. 18-23). A idolatria corrompe o coração e acarreta o severo juízo de Deus (Rm. 1.24-32). A idolatria produz cegueira e entorpecimento espiritual (Sl. 115. 4-8). A idolatria embrutece o entendimento e a razão (Is. 44. 9-18). A idolatria produz ilusão (Is. 44. 19,20). A idolatria não é neutra, atrás dela está a ação dos demônios (1 Co. 10. 19-22).

    Por isso, não podemos adorar a Deus segundo os ditames da nossa vontade ou da nossa religião. Deus exige ser adorado em espírito e em verdade (Jo. 4.24). O culto a Deus precisa ser de acordo com a Palavra de Deus, e esta nos exorta: Filhinhos guardem-vos dos ídolos (1 Jo. 5.21).

    A idolatria é obra da carne (Gl. 5.20). Os que praticam idolatria não herdarão o reino de Deus (Gl. 5.21). Os idólatras serão lançados no lago de fogo e enxofre (Ap. 21.8). Oh! Que o seu coração tema e trema diante destas tremendas afirmações das Escrituras. É hora de você deixar de lado toda crença vã.

    É hora de você acordar e abrir os olhos e perceber que os ídolos nada são (1 Co. 8.4). Eles não podem proteger você. Eles não podem ouvir você. Eles não podem abençoar você. É hora de você desviar seus olhos de imagens mortas e olhar para o Deus vivo.

    Entre você e Deus não existe uma miríade de mediadores. Só há um: este é Jesus Cristo (1 Tm. 2.5). Sem Jesus jamais você pode ir a Deus (Jo. 14.6). Ponha seus olhos agora em Jesus, Ele é o autor e o consumador da fé (Hb. 12.2). Creia Nele e você terá a vida eterna (Jo. 6.47).

    Só a verdade honra a Jesus. O cristianismo puro está pautado na verdade que é a Palavra de Deus. Todo concílio que não está submisso à Palavra de Deus deve ser rejeitado. A Palavra de Deus é a verdade (Jo. 17.17), e nada podemos contra a verdade, senão pela verdade (2Cor. 13.8).


    Nem Pedro, nem Paulo, nem Maria, nem nenhum outro santo, podem ouvir nossas orações e merecer a nossa veneração. Culto só a Deus. É a Jesus que todo joelho deve se dobrar no céu, na terra e debaixo da terra (Fp. 2.9-11).

    A Bíblia diz que no inferno estarão os idólatras, os feiticeiros, adúlteros, mentirosos. No céu também estarão os idólatras, adúlteros, mentirosos, que se arrependeram desses pecados. No céu só vai entrar os arrependidos.

    Então eu conclamo você a se arrepender de seus pecados e voltar seus olhos para Cristo. Pois Ele é a única porta de salvação. Ele é o único que está à direita de Deus e pode devido a Sua Onisciência e Onipresença interceder por cada um de nós em qualquer lugar e a cada momento.

    Que Deus, em Cristo Jesus te abençoe!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir