quarta-feira, 29 de maio de 2019

O que disse o papa Francisco na carta que enviou a Lula




"O papa Francisco enviou uma carta a Lula em que manifesta "proximidade espiritual" com o ex-presidente e lhe pede para "não desanimar e continuar confiando em Deus".

No texto, uma resposta a correspondência enviada por Lula em março, o pontífice menciona "as duras provas" que o ex-presidente viveu ultimamente, "especialmente a perda de alguns entes queridos" – a esposa, Marisa Letícia, o irmão Genival Inácio e o neto Arthur.

 
Em referência à carta que recebeu de Lula, o papa afirma que a avaliação que o ex-presidente fez "sobre o atual contexto sócio-político brasileiro" será "de grande utilidade".

"Tal como os meus Antecessores, estou convencido de que a política pode tornar-se uma forma eminente de caridade, se for implementada no respeito fundamental pela vida, a liberdade e a dignidade das pessoas", escreve o papa mais adiante.

Em referência à Páscoa – a carta, conhecida agora, foi enviada em 3 de maio –, o pontífice diz que a passagem de Jesus da morte à vida permite que passemos também "da incredulidade e do desespero para a alegria serena e profunda de quem acredita que, no final, o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e a Salvação vencerá a condenação"."


CONSIDERAÇÕES SOBRE 
A CARTA DO PAPA A LULA



1-  O Papa e seus assessores respondem a todos que enviam cartas a Santa Sé. É um procedimento padrão.

2 - A carta repete as diretrizes que devem nortear um chefe de Estado segundo o ensino católico, citando inclusive seus antecessores.

3 - Não há na carta nenhum juízo de valor sobre o ponto de vista do condenado, nem nada a respeito da situação judicial do ex-presidente. Lula não é tratado como "preso político". Não há nenhuma aprovação aos crimes do ex-chefe de Estado. Não há proselitismo político ou ideológico.

3 - As mensagens do Santo Padre sempre mostram compaixão com todos. O Papa presta condolências pelas perdas de entes queridos do ex-chefe de estado - o que é realmente triste, independentemente do uso político que delas foi feito. 

4- A carta diz que podemos passar do pecado que nos separa de Deus para a amizade que nos une a Ele. Diz também que o bem vence o mal, a verdade vence a mentira, a salvação vence a condenação; tudo isso no contexto da Ressurreição do Senhor. Quer dizer, o Papa aproveitou a oportunidade para evangelizar.

5 - Não se encontra nada na carta que ponha em risco a fé.

6 - Por fim, é óbvio e previsível que os petistas utilizarão a carta como desculpa para "inocentar" o chefe. É previsível também que muitos neoconservadores histéricos dirão que o Papa é "petista" ou algo do tipo. É o golpe perfeito contra a Igreja.

Não caia nessa, tome cuidado com o que você escreve e compartilha. Seja esperto!

PARA OS CATÓLICOS: RESPEITEM O SANTO PADRE E OREM PELO SUCESSOR DE PEDRO!
__________________________________________
Gazeta do Povo/ Considerações: Daniel Ribeiro

Um comentário:

  1. Por acaso alguém reparou que as assinaturas NÃO COINCIDEM? O Papa assina "Franciscus" e a carta está assinada "Francisco"...

    ResponderExcluir