domingo, 15 de abril de 2018

CNBB discute presença de bispos durante atos políticos e é atacada: "antro de comunistas".


A Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros (CNBB) começou sua 56ª Assembleia Geral nesta semana. Cerca de 400 oficiais católicos se reúnem para discutir a formação de presbíteros pelo país.

No entanto, outros assuntos surgiram na pauta dos bispos. A relação da Igreja com o ano eleitoral, por exemplo, está em discussão pelos oficiais. A preocupação da CNBB vem após a polêmica envolvendo o último discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o fim de semana em que ele se entregou à Polícia Federal. 

Na ocasião, o bispo dom Angélico Sândalo Bernardino realizou uma celebração ecumênica em homenagem a Marisa Letícia, em São Bernardo na qual o político condenado fez um comício contra sua prisão. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi atacada via twitter. “CNBB: antro de comunistas”, dizia uma das mensagens postadas.

Porém, segundo o jornal Estadão, dom Angélico declarou que voltaria a realizar a missa se fosse convidado novamente, porque é amigo do ex-presidente. Além do caso envolvendo o bispo, algumas pastorais sociais da Igreja – como o Conselho Indigenista Missionário, Comissão Pastoral da Terra e grupos de franciscanos – emitiram notas se manifestando sobre a prisão do ex-presidente.

A 56ª Assembleia Geral da CNBB acontece entre os dias 11 e 20 de abril no Santuário Nacional em Aparecida do Norte, interior de São Paulo.
_______________________________
Com informações: Pleno.News/ Brasil247