sexta-feira, 20 de abril de 2018

Bispos convidam os fieis à jornada de oração pela Venezuela


A Conferência Episcopal da Venezuela (CEV) convidou a população a participar de uma jornada de Oração pelo país do dia 19 ao 22 de abril.

Em um vídeo divulgado em sua conta no Twitter, a CEV afirmou que “a Venezuela precisa da nossa oração e da nossa ação”.

“Por isso, a Conferência Episcopal Venezuelana (CEV) exorta a todos os venezuelanos a unir-se do dia 19 ao 22 de abril em uma jornada de oração pela Venezuela”.

No vídeo, o Episcopado também pediu aos fiéis para que realizem “gestos de misericórdia e caridade para com as pessoas que realmente precisam de uma manifestação de ternura e de solidariedade”.

Para incentivar o dia de oração, a CEV elaborou um subsídio que sugere usar em 19 de abril “os textos da Missa pelo país, no dia 20 pela justiça e pela paz e no dia 21 pelo progresso dos povos”. Em 22 de abril, é o IV Domingo de Páscoa, Domingo do Bom Pastor, indicou.

O documento recorda que o dia de oração foi sugerido pelo CEV na sua mensagem do dia 19 de março.

Nesse sentido, recorda que “a sugestão da Presidência da CEV, pede ter um longo Dia de Oração ante o Santíssimo Sacramento, semelhante às ‘Quarenta Horas’”.

“Também vamos propor um horário de Adoração ao Santíssimo Sacramento para cada dia do Dia Nacional de Oração. Com sugestões de algumas citações bíblicas para a prolongada adoração da Santa Eucaristia”.

Do mesmo modo, recorda que “as ‘Quarenta Horas’ sempre terminam com uma procissão eucarística, por isso, seria bom que cada comunidade paroquial organizasse uma procissão com o Santíssimo Sacramento”, pelas ruas ou dentro da Igreja.

“Que a nossa oração chegue ao céu como um clamor, ao Pai de misericórdia, através de Jesus Cristo, sob a força do Espírito Santo. Contemos com Maria de Coromoto, que rezará conosco pela Venezuela”, expressa o documento.

Conforme informou esta semana Fundo Monetário Internacional (FMI), a Venezuela terminará 2018 com uma inflação de 13.864%. Além disso, em 2019 o preço de dezenas de produtos continuará aumentando até 12.874%.

Em seu relatório, o FMI recorda que “a Venezuela sofreu uma intensificação da crise econômica e humanitária desde 2014”. Isso se refletiu na escassez de alimentos e remédios e na migração de centenas de milhares de venezuelanos a outros países.
___________________________
ACI Digital