sábado, 9 de julho de 2016

O Senhor Jesus Cristo é o verdadeiro Salomão




O templo que Salomão edificou para o Senhor era uma imagem e prefiguração da futura Igreja e do Corpo do Senhor. Por isso diz Jesus no Evangelho: Destruí este templo e Eu o reedificarei em três dias. Assim como Salomão edificou o templo de Jerusalém, também edificou para Si um templo o verdadeiro Salomão, Nosso Senhor Jesus Cristo, o verdadeiro pacífico. Recordemos que o nome de Salomão quer dizer «Pacífico». Ora o verdadeiro pacífico é Aquele de quem diz o Apóstolo: Ele é a nossa paz, Aquele que fez dos dois um só povo. Este é o verdadeiro pacificador, que uniu em Si, como pedra angular, os dois muros que vinham de lados opostos, a saber, o povo dos crentes que provinha da circuncisão e o povo dos crentes que provinha da gentilidade incircuncisa. Dos dois povos fez uma só Igreja, tornando-Se para eles a pedra angular; e por isso Ele é o verdadeiro pacificador.

Cristo é o verdadeiro Salomão, e o outro Salomão, filho de David e da mulher Betsabé, rei de Israel, era figura deste Rei pacífico. Por isso deves pensar antes no novo Salomão que edificou a verdadeira casa de Deus, quando diz a Escritura no salmo: Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem. Portanto é o Senhor que constrói a casa, é o Senhor Jesus Cristo que edifica a sua casa. São muitos os que trabalham na construção; mas se Ele não a edifica, em vão trabalham os que a constroem.

Quem são os que trabalham na construção? São todos os que na Igreja pregam a palavra de Deus, os ministros dos sacramentos de Deus. Todos nos esforçamos, todos trabalhamos, todos construímos agora; outros antes de nós se esforçaram, trabalharam e construíram. Mas se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem. Por isso, ao verem que alguns caíam, os Apóstolos advertiam-nos, e especialmente Paulo que dizia: Vós observais os dias, os anos, os meses e as estações; receio ter trabalhado em vão entre vós. Como sabia que ele mesmo era edificado interiormente pelo Senhor, lamentava aqueles por quem trabalhava inutilmente. Nós, portanto, falamos do exterior, mas é Ele que edifica interiormente. Nós podemos saber o que ouvis, mas só Aquele que vê os nossos pensamentos pode saber o que pensais. Nós trabalhamos como operários; mas é Ele que edifica, adverte, inspira temor, abre a inteligência e conduz à fé os vossos sentimentos.


Dos Comentários de Santo Agostinho, bispo, sobre os salmos
(Ps. 126, 2: CCL 40, 1857-1858) (Sec. V)