quarta-feira, 24 de outubro de 2018

MG: Três igrejas foram alvo de dano ao patrimônio religioso no fim de semana


Patrimônios culturais e religiosos de três igrejas de Minas Gerais sofreram danos no último fim de semana, causando indignação nas cidades de São João del Rei, Conselheiro Lafaiete e São João Nepomuceno.

Na histórica cidade de São João del Rei, o ato de vandalismo ocorreu na madrugada de domingo, 21 de outubro, quando um estudante de 21 anos escalou a porta da Igreja de Nossa Senhora do Carmo e quebrou um anjo barroco de pedra-sabão que, conforme apontou o portal ‘G1’, teria sido feito por Aleijadinho, conhecido como o mestre do barroco mineiro.

De acordo com a imprensa local, o jovem é natural de Jundiaí (SP) e estuda psicologia na cidade mineira. Testemunhas relataram que ele escalou o templo, que data de 1732 e é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), agarrando nos monumentos.


O rapaz teria se segurado no anjo para dar impulso, quando a peça quebrou e ele caiu de cerca de 6 metros de altura, junto com parte da escultura. O jovem foi atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado para atendimento hospitalar, tendo sofrido diversas fraturas.



Após o ocorrido, a Diocese de São João del Rei emitiu uma nota assinada pelo administrador diocesano, Pe. Dirceu de Oliveira Medeiros, na qual lamenta e repudia o fato.

“Lamentamos ainda que a legislação brasileira não trate com o devido rigor crimes dessa natureza. Porém solicitamos das autoridades e órgãos competentes as medidas cabíveis”, acrescenta.

“Com espírito cristão pedimos a punição do responsável pelo ato, e ao mesmo tempo, desejamos o seu pronto restabelecimento. Por fim, conclamamos a comunidade católica e pessoas de boa vontade a se tornarem guardiãs de nosso rico patrimônio religioso, cultural e histórico”, conclui.

Por sua vez, o Iphan informou ao ‘G1’ que “a peça danificada foi recolhida pelo pároco e passará por vistoria do Iphan para avaliar a extensão do dano e indicar possíveis reparos. O Iphan também está acionando a Polícia Federal para que as medidas na esfera criminal possam ser tomadas”.

Imagem centenária destruída



Na tarde de sábado, 20 de outubro, a imagem centenária de Nossa Senhora das Graças que ficava no altar lateral da Paróquia de São Sebastião, em Conselheiro Lafaiete, foi lançada ao chão e destruída.

Conforme a Paróquia informa em sua página de Facebook, o ato ocorreu “após a Santa Missa das 15h”, quando “um rapaz entrou na Igreja, subiu no altar e jogou a Imagem centenária de Nossa Senhora das Graças no chão”, a qual “ficou destruída”.



Além disso, segundo o site do jornal ‘Estado de Minas’, na noite anterior a mesma pessoa teria sido acusada de quebrar vidros de um posto de saúde.

Ao site, o pároco de São Sebastião, Pe. Daniel Marcos Lima, afirmou que “o jovem estava completamente transtornado”. De acordo com ele, “o rapaz estava muito revoltado, parecia em surto”.

“O fato nos deixou chocados, pois foi a primeira vez que isso ocorreu na nossa paróquia”, assinalou o sacerdote.

Sobre a imagem, Pe. Lima explicou ao site ‘G1’ que é “toda em gesso policromado. Tem olhos de vidro, com técnica que priorizava o cristal. Uma técnica que não é usada hoje. A cabeça ficou bastante danificada”.

Em nota, a paróquia ressaltou que “a imagem ficou gravemente danificada e será necessário um trabalho minucioso e exigente para tentar recuperá-la”.

Ao ‘G1’, a Arquidiocese de Mariana, à qual pertence a Paróquia de Conselheiro Lafaiete, informou que “a intenção é que o atelier de restauração seja feito na própria igreja, para que a comunidade possa acompanhar todo o processo”.

Igreja invadida


Já em Ituí, zona rural de São João Nepomuceno, a capela de São José foi invadida no último fim de semana e quebraram uma imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Segundo a Arquidiocese de Juiz de Fora, “nada foi furtado. Somente a imagem de Nossa Senhora Aparecida, que estava em um andor, foi jogada no chão e quebrada”. Ainda não há informações sobre “quem pode ter tido tal atitude de desrespeito e intolerância religiosa”.

A Arquidiocese informou que na próxima sexta-feira, 26 de outubro, realizarão “um ato de desagravo à Nossa Senhora Aparecida no local”, com Missa, procissão e coroação da imagem da padroeira do Brasil.

“Será uma forma de os devotos mostrarem sua consternação com o ocorrido, mas também de reafirmarem a sua fé na Mãe de Jesus”.
____________________
ACI Digital