quarta-feira, 23 de maio de 2018

Imagem da Virgem de Guadalupe é manipulada em eleições, no México


O uso eleitoral da imagem da Virgem de Guadalupe em alguns cartazes causou polêmica no México e a Igreja exigiu respeito aos partidos políticos que disputarão a presidência e o congresso nas eleições do próximo dia 1º de julho.

“A Virgem de Guadalupe sempre ajudou a unidade do povo do México”, assinalou a Conferência do Episcopado Mexicano em 20 de maio. “Reprovamos a sua utilização como instrumento de discórdia”.

Nos últimos dias, circulou nas redes sociais alguns cartazes com uma fotografia que insultam a Virgem de Guadalupe e asseguram que “a Igreja Católica faz parte da máfia do poder”. O cartaz mostra, entre outros, o logotipo do Movimento Regeneração Nacional (Morena).

O líder do Morena e candidato à presidência do México, Andrés Manuel López Obrador, conhecido como “AMLO”, se distanciou da distribuição dos cartazes, denunciando uma “guerra suja”.

Supostamente citando o escritor Ignacio Ramírez “El Nigromante”, maçom, ateu e laicista do século XIX, López Obrador assegurou em seu comunicado: “Eu fico onde o povo fica”.

No próximo dia 1º de julho, os mexicanos votarão para eleger o novo presidente, que governará o país durante os próximos seis anos, assim como senadores e deputados.

Em seu comunicado, os bispos exigiram respeito pela imagem da Virgem de Guadalupe, “que representa não só os valores muito sagrados que dão identidade ao nosso povo, do qual é Mãe, guardiã e exemplo; mas também é um sinal de muito valor na América Latina, da qual também é Padroeira e reconhecida como Imperatriz de toda a América”.

“Isso, sem contar com a imensa importância que tem em todo o mundo”, assinalaram.

Por isso, “pedimos às autoridades competentes para que investiguem estes acontecimentos e não permitam circular nenhum tipo de propaganda eleitoral que contenha imagens ou símbolos religiosos venerados por grande parte do povo mexicano, pois, ao fazê-lo, provocam um desconforto em muitos cidadãos crentes e é uma grave falta de respeito para com eles”.

Os bispos asseguraram que a Igreja respeita o processo eleitoral “e atua dentro do quadro constitucional e legal aplicável, convidando os cidadãos a participar de maneira livre e responsável”.

“Oferecemos a nossa oração à Nossa Senhora de Guadalupe para que, pela sua intercessão, prevaleça, durante o desenvolvimento e o andamento do processo eleitoral, a paz, a justiça e o respeito à vida de todas as pessoas simpatizantes ou militantes de qualquer partido ou coligação”, assinalaram.
_______________________________
ACI Digital