sexta-feira, 25 de maio de 2018

Nunciatura do Chile se pronuncia ante acusação de encobrimento de abusos


A Nunciatura Apostólica no Chile negou as acusações feitas por um sacerdote a respeito da falta de colaboração em um suposto caso de abuso sexual que um sacerdote havia cometido na Diocese de Talca.

Pe. Sergio Diaz Cubillos, pároco da Igreja da Imaculada Conceição de Villa Prat, acusou o Núncio Apostólico no Chile, Dom Ivo Scapolo, de recusar-se a recebê-lo em 2014 para falar acerca de um possível caso de abuso de um sacerdote a quatro jovens de Talca e de Santiago.

Estas declarações foram feitas por Pe. Diaz Cubillos em 23 de maio, depois da reunião do clero da Diocese de Talca com o bispo local, Dom Horacio Valenzuela, para analisar a mensagem do Papa Francisco aos bispos chilenos sobre a gestão deficiente nos casos de abusos sexuais.

“Depois de um ano, entregamos tudo o que a Igreja nos pede na nunciatura e (Scapolo) me deu uma carta (...) em Santiago. Quando chegamos estava chovendo e muito frio e disse que não iria nos receber, que não era por mim, era pelos jovens que estavam comigo. Como não vou me sentir ferido, se o Papa confia neste núncio, ou confiava plenamente”, disse à imprensa local.

Em seguida, acrescentou, que diante da resposta negativa da Nunciatura, buscou uma maneira de “fazer justiça”.

Díaz Cubillos disse que “a Igreja tem suas formas” e, nesse sentido, se reuniram, ante Dom Valenzuela, o suposto abusador com as vítimas.

Segundo Pe. Díaz, neste encontro “o perpetrador confessou tudo; deste modo, as vítimas se sentiram mais tranquilas e o bispo demitiu o sacerdote de todas as suas atividades pastorais com crianças e jovens. Nesse caso, Dom Valenzuela agiu bem e as vítimas ficaram tranquilas”.

No dia seguinte das declarações de Pe. Díaz, a Nunciatura Apostólica no Chile emitiu um comunicado no qual afirma que Dom Scapolo “nunca soube a respeito da denúncia que o sacerdote se referia”.

“Dom Scapolo não marcou nenhuma reunião com o sacerdote na Nunciatura Apostólica. Consequentemente, não foi possível que o Núncio se negasse encontrar o sacerdote e os jovens mencionados por ele”, esclarece a carta.

Finalmente, a Nunciatura informou que ante a gravidade da acusação, “o Núncio está disposto a solicitar a criação de uma Comissão para investigar os acontecimentos mencionados”.
_______________________
ACI Digital