sábado, 16 de junho de 2018

Papa compara aborto ao nazismo e diz que família segundo Deus é homem e mulher


O papa Francisco comparou, neste sábado (16), o aborto praticado em caso de má-formação do feto com uma eugenia "de colarinho branco" como a praticada pelos nazistas, denunciando que "para ter uma vida tranquila, elimina-se inocentes".

"Ouvi dizer que está na moda, ou pelo menos é habitual, realizar exames durante os primeiros meses de gravidez para ver se a criança está bem ou nascerá com algo [algum problema] e que a primeira opção é se livrar [dela neste caso]", declarou o papa no Vaticano a representantes de associações familiares.

"No século passado, todo mundo se escandalizou com o que os nazistas faziam para preservar a pureza da raça. Hoje, fazemos o mesmo com colarinho branco", declarou o pontífice argentino.

O papa também se indagou: "Por que não vemos anões nas ruas? Porque o protocolo de diversos médicos diz: 'nascerá com uma anomalia, livre-se dele'".

Acerca da questão familiar, o papa observou que "hoje falamos que família diversificadas, de diversos tipos de famílias. Sim, é verdade: família é uma única e mesma palavra, mas também nos referimos à família das estrelas, à família dos animais".

"Mas família, segundo Deus, homem e mulher, só há uma", resumiu Jorge Bergoglio.

"A família é uma bela aventura e hoje, me dói dizer isso, observamos que com frequência se pensa em fundar uma família, em casa, como se fosse uma loteria. Se der certo, bom, se não, apagamos tudo e começamos de novo", criticou o papa.
___________________________________
Front Católico