quarta-feira, 20 de junho de 2018

Católicos da Coreia do Sul marcham pela vida diante da ameaça do aborto


No dia 16 de junho, os católicos de Seul participaram de uma marcha pela vida, na qual incentivaram a defender este direito inalienável diante da possibilidade de que o aborto seja legalizado na Coreia do Sul

A marcha ocorre quando, na Coreia, espera-se que o Tribunal Constitucional diga se a lei que proíbe o aborto está de acordo com a Carta Magna.

Segundo informa a agência vaticana Fides, quem participou da marcha está pronto “para se opor à revogação da proibição do aborto”, com o espírito de defender a vida da mãe e do bebê por nascer.

O Arcebispo de Seul, Cardeal Andrew Yeom Soo-jung, dirigiu aos participantes da marcha uma mensagem na qual recordou a importância de defender o direito à vida de todas as pessoas.

“A vida, que parece tão frágil e insignificante, tem um poder muito forte. Somos responsáveis pelos limites e as condições sociais que obrigam as mulheres a tomar decisões irreversíveis”, disse o Cardeal na Catedral de Seul.

O Purpurado coreano assinalou que “o aborto não é a melhor opção. Não se trata sequer de uma questão de escolha. Deveríamos tentar construir uma cultura que ensine a respeitar e amar a vida”.

Em fevereiro deste ano, também na Catedral de Seul, o Cardeal recebeu mais de um milhão de assinaturas pela vida e contra o aborto no país.

Naquela ocasião, assinala UCA News, o Purpurado disse que isso mostra o compromisso da Igreja em “proteger todas as formas de vida”.

Na Missa que presidiu em 12 de fevereiro, o Arcebispo disse que as assinaturas são um “chamado à sociedade”, recordando que o nascituro “é um reflexo de Deus, um cidadão de nossa sociedade e uma vida humana que deve ser respeitada”.
_____________________________
ACI Digital