sábado, 26 de novembro de 2016

Cantemos Aleluia ao bom Deus que nos livra de todo o mal


Cantemos Aleluia, ainda inseguros na terra, para podermos cantá-lo um dia em plena segurança no Céu. Mas porque estamos ainda inseguros? Não queres que me sinta inseguro, quando leio: Porventura não é uma tentação a vida do homem sobre a terra? Não queres que me sinta inseguro, quando me dizem: Vigiai e orai para não cairdes em tentação? Não queres que me sinta inseguro, onde as tentações são tão frequentes que a própria oração nos obriga a repetir: Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido? Todos os dias pedimos perdão e todos os dias cometemos ofensas. Queres que me sinta seguro na terra, onde todos os dias peço perdão dos pecados e proteção dos perigos? Depois de ter dito, por causa dos pecados passados: Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, acrescenta imediatamente, por causa dos perigos futuros: Não nos deixeis cair em tentação. Como pode sentir-se bem o povo que clama juntamente comigo:Livrai-nos do mal? E contudo, irmãos, mesmo no meio destes males, cantemos Aleluia ao bom Deus que nos livra do mal. 

Também aqui, rodeados de perigos e tentações, cantemos todos Aleluia. Deus é fiel – diz o Apóstolo – e não permitirá que sejais tentados acima das vossas forças. Por isso cantemos Aleluia cá na terra. O homem é ainda pecador, mas Deus é fiel. Não diz: «Não permitirá que sejais tentados»; mas: Não permitirá que sejais tentados acima das vossas forças. Mas no tempo da tentação, dar-vos-á também o meio de sair dela, ajudando-vos a suportá-la. Entraste em tentação? Deus fará com que saias dela são e salvo; como o vaso do oleiro, vais sendo modelado pela pregação e cozido no fogo da tribulação. Mas quando entras na tentação, confia que hás de sair dela, porque Deus é fiel: O Senhor guardará as tuas entradas e as tuas saídas. 

Quando este nosso corpo se tornar imortal e incorruptível, acabará toda a tentação, porque o corpo está morto. Está morto, porquê? Por causa do pecado. Mas o espírito é vida; porquê? Por causa da justiça. Abandonamos então o corpo morto? Não. Escuta [o Apóstolo]: Se o Espírito d’Aquele que ressuscitou Jesus de entre os mortos habita em vós, Ele que ressuscitou Cristo Jesus de entre os mortos, também dará vida aos vossos corpos mortais. Agora, o nosso corpo é animal; depois, será espiritual. 

Oh ditoso Aleluia do Céu, plenamente seguro, livre de toda a adversidade! Ali não haverá nenhum inimigo, nem se perderá nenhum amigo. Ressoam os louvores de Deus no Céu; ressoam os louvores de Deus na terra. Mas aqui são cantados por homens inseguros; lá, em plena segurança. Aqui, pelos que hão de morrer; lá, pelos que já são imortais. Aqui, pelos que vivem na esperança; lá, pelos que já possuem a realidade. Aqui, pelos que são ainda peregrinos; lá, pelos que já chegaram à pátria. 

Cantemos agora, meus irmãos, não para gozar o repouso, mas para aliviar a fadiga. Como costumam cantar os caminhantes: canta, mas caminha; cantando, alivia a fadiga, mas não te dês à preguiça; canta e caminha. Que quer dizer: «Caminha»?. Avança, progride no bem. Há alguns, como diz o Apóstolo, que progridem no mal. Tu, se progrides, caminhas. Mas progride no bem, progride na verdadeira fé, progride na vida santa. Canta e caminha.


Dos Sermões de Santo Agostinho, bispo

(Sermo 256, 1.2.3: PL 38, 1191-1193) (Sec. V)