quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Doutrina do apóstolo sobre as qualidades e deveres dos dignitários da Igreja


Caríssimo: O dirigente da comunidade, como administrador da casa de Deus, tem de ser irrepreensível. Não pode ser arrogante, nem colérico, nem amigo do vinho, nem conflituoso, nem ávido de lucros desonestos. Pelo contrário, deve ser hospitaleiro, amigo do bem, ponderado, justo, piedoso, puro. Deve ser de tal modo fiel na exposição da palavra, conforme ao ensino recebido, que seja capaz, não só de exortar na sã doutrina, mas também de refutar os que a contradizem. 

Na verdade, há grande número de rebeldes, charlatães e impostores, sobretudo entre os da circuncisão. É preciso reduzi-los ao silêncio, porque eles pervertem famílias inteiras, ensinando o que não devem, por amor de um lucro vergonhoso. Tu, porém, ensina o que é conforme à sã doutrina. 

Os anciãos devem ser sóbrios, dignos, ponderados, fortes na fé, na caridade e na constância. De maneira semelhante, as mulheres idosas devem ter um procedimento digno de pessoas santas: não devem ser maldizentes nem dadas ao vinho, mas devem dar bons conselhos, ensinando as jovens a amar os maridos e filhos, e a serem prudentes e honestas, boas donas de casa, bondosas, dóceis aos maridos, para que a palavra de Deus não seja desacreditada. 

Aconselha igualmente os jovens a serem ponderados em tudo; e apresenta-te a ti mesmo como modelo de boas obras, pureza de doutrina, dignidade, linguagem sã e irrepreensível, para que os nossos adversários fiquem confundidos, não tendo nenhum mal a dizer de nós.


Para um Santo Papa ou Bispo (Tempo Comum)

Da Epístola do apóstolo São Paulo a Tito 1, 7-11; 2, 1-8