Adsense Teste

sábado, 19 de novembro de 2016

Alunos que invadiram escola para protestar vandalizam Capela do Colégio CINTRA, em São Luís (MA)


Fiquei extremamente indignado ontem com a notícia de que a capela da escola CINTRA (São Luís/MA) havia sido depredada e as sagradas imagens destruídas. Os delinqüentes que invadiram a escola em afronta à PEC do governo, movidos pela depravação de sua ímpia ideologia, também vandalizaram o recinto sagrado e as imagens religiosas.

Sinceramente me pergunto se os criminosos que realizaram tamanho ato de vandalismo conseguem enxergar a própria imbecilidade ou se a doutrinação revolucionária que lhes foi imposta tornou-os cegos e insensíveis aos direitos dos outros.


O Art. 208 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40 - prevê: “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: Pena - detenção de um mês a um ano ou multa”. 

A Lei é clara: o que fizeram é crime.


Esses "estudantes", que se denominam "democráticos", "tolerantes", "intelectuais", "sem preconceitos", são os mesmos que covardemente submetem uma Instituição de Ensino e uma Capela à baderna, às pichações, à destruição e ao vilipêndio.

Agora: quem os está ensinando a não respeitar a Fé alheia? Quem os está colocando nessas manifestações? Quem está a lhes dizer que suas atitudes estão corretas?


Claramente há doutrinação comunista nessas escolas, uma verdadeira lavagem cerebral. Estão incutindo ideais marxistas e revolucionários na cabeça dessas jovens marionetes, instrumentalizados como idiotas úteis de uma ideologia genocida, que os conduz ao desrespeito, à intolerância, ao ódio e a toda sorte de imoralidades.

O pensamento revolucionário sempre tentou atacar a Igreja Católica, desde a ímpia Revolução Francesa (nas mãos de Maximilien de Robespierre), passando pelas sangrentas Revoluções na Rússia (nas mãos dos Bolcheviques) e no México (nas mãos de Plutarco Elías Calles, que perseguia católicos, matava padres e mandava destruir imagens e igrejas tal qual aconteceu nessa escola) até a famigerada Revolução Cubana (nas mãos de Fidel Castro Che Guevara), entre tantos outros “exemplos” de atos horripilantes executados contra a Igreja Romana e contra a Civilização Cristã.


Os católicos devem defender a sua Fé e a sua Igreja contra a maldade e a perversão da Revolução Marxista. Não pode nem deve subsistir a impunidade. Como em certa ocasião disse o Santo Padre Paulo VI, "nós, católicos, somos pacíficos, mas não pacifistas”.


“Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada” (Eduardo Alves da Costa).

Não fiquemos calados diante do erro e da abominação. 

Que Maria Santíssima esmague a Revolução!!



Luiz Felipe Ribeiro