terça-feira, 12 de abril de 2016

Cantemos ao Senhor um cântico de amor


Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai os seus louvores na assembleia dos santos. Somos exortados a cantar ao Senhor um cântico novo. O homem novo conhece o cântico novo. O cântico é uma manifestação de alegria e, se consideramos melhor, um sinal de amor. Quem, efetivamente, aprendeu a amar uma vida nova, aprendeu também a cantar um cântico novo. É pelo cântico novo, portanto, que devemos reconhecer o que é a vida nova. Tudo isto pertence ao mesmo reino: o homem novo, o cântico novo, o testamento novo. O homem novo, portanto, canta o cântico novo e pertence ao testamento novo.

Não há ninguém que não ame; a questão está em saber o que se deve amar. Não somos, por conseguinte, exortados a não amar, mas sim a escolher o que havemos de amar. Mas que podemos nós escolher, se antes não somos escolhidos? Porque nós não amamos, se antes não somos amados. Ouvi o apóstolo João: Nós amamos porque Ele nos amou primeiro. Procura saber como é que ocorreu ao homem amar a Deus e nada mais encontrarás senão que Deus o amou primeiro. Deu-Se a Si mesmo Aquele que amámos e deu-nos a capacidade de amar. Como é que Ele nos deu a capacidade de amar, ouvi-o mais claramente através do apóstolo Paulo: O amor de Deus foi derramado em nossos corações. Por quem? Por nós, talvez? Não. Então por quem? Pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Tendo, portanto, tão grande confiança, amemos a Deus com o amor que vem de Deus. Ouvi mais claramente o mesmo São João: Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele. É bem pouco afirmar: O amor vem de Deus. Quem de nós se atreveria a dizer o que foi dito: Deus é amor? Disse-o quem conhecia o que tinha.

Deus oferece-Se em nosso favor. Clama para cada um de nós: Amai-Me e possuir-Me-eis, porque não me podeis amar, se não Me possuirdes.

Oh irmãos, oh filhos, oh novos rebentos da Igreja católica, oh geração santa e celestial, que renascestes em Cristo para uma vida nova! Ouvi-me, ou antes, ouvi através do meu convite: Cantai ao Senhor um cântico novo. Já canto, dir-me-ás. Sim, oiço que cantas. Mas oxalá a tua vida não dê testemunho contra a tua língua.

Cantai com a voz, cantai com o coração, cantai com a boca, cantai com a vida: Cantai ao Senhor um cântico novo. Perguntais-me que deveis cantar a respeito d’Aquele a quem amais? Sem dúvida é acerca d’Aquele a quem amas que tu desejas cantar. Queres saber então que louvores hás-de cantar? Já o ouvistes: Cantai ao Senhor um cântico novo. E que louvores? Cantai os seus louvores na assembleia dos santos. O maior louvor do cântico é o próprio cantor.

Quereis tributar louvores a Deus? Sede vós o cântico que ides cantar. Vós sois o seu maior louvor, se viverdes santamente.



Dos Sermões de Santo Agostinho, bispo
(Sermo 34, 1-3. 5-6: CCL 41, 424-426) (Sec. V)