terça-feira, 27 de março de 2018

Famoso ateu reconhece que não se deve celebrar uma Europa menos cristã


O cientista ateu Richard Dawkins advertiu em sua conta no Twitter que não se deve celebrar uma Europa menos cristã, porque é necessário estar alerta “por medo de encontrar algo pior”.

“Antes de nos alegrarmos pelas agonias da relativamente benigna religião cristã, não nos esqueçamos da frase ameaçadora de Hilaire Belloc: ‘Mantenha a enfermeira sempre por perto: por medo de encontrar algo pior’”, escreveu em sua conta no Twitter.

Dawkins fez esta advertência ao citar um artigo do ‘The Guardian’ que fala sobre o surgimento de uma Europa não cristã, que tem como referência o estudo “Jovens adultos da Europa e a religião”. Este revela a diminuição da porcentagem daqueles que se consideram católicos em vários países, especialmente na França (23%) e no Reino Unido (10%).

Do mesmo modo, embora o estudo assinale que os jovens católicos ainda são maioria em países como a Polônia e a Irlanda, com 82% e 54%, respectivamente, também adverte a respeito do aumento daqueles que não seguem nenhuma religião e dos jovens muçulmanos.

Stephen Bullivant, professor de teologia e religião na Universidade de St. Mary, em Londres, e responsável pelo estudo, disse ao ‘The Guardian’ que “a taxa de natalidade muçulmana é maior do que da população em geral e têm taxas de retenção (religiosa) muito maiores”.

Entretanto, esta não é a primeira vez que Dawkins manifesta a sua preocupação pela redução do cristianismo no Ocidente, “na medida em que o cristianismo poderia ser um baluarte contra algo pior”.

Em agosto de 2017, cancelaram uma entrevista de Dawkins em Berkeley, Califórnia, devido às suas críticas ao Islã.

Anteriormente, segundo ‘The Christian Post’, o cientista ateu disse que o Islã como religião representa uma ameaça mais perigosa do que qualquer outra.

“É tentador dizer que todas as religiões são ruins, e eu digo que todas as religiões são ruins, mas é uma tentação pior dizer que todas as religiões são igualmente ruins, porque não são”, disse Dawkins.

Segundo o artigo, o ateu acrescentou que, “se olharmos para o verdadeiro impacto que as diferentes religiões têm sobre o mundo, é muito evidente que atualmente a religião mais malvada do mundo deve ser o Islã”.
______________________
ACI Digital