sexta-feira, 9 de março de 2018

A condenação da Igreja ao comunismo e ao capitalismo ainda está em vigor?



Um leitor protestante (J.O., RJ) perguntou à nossa redação se a carta encíclica do Papa Leão XIII que condena o comunismo, socialismo e o niilismo e sua associação ao mesmo tem um período vigente pois percebe uma grande concentração de padres e fiéis adotando-o como visões.

Olá, J. O,
a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo, esteja com você e com os seus.

A condenação ao comunismo ainda é vigente porque é uma condenação lógica. De fato, estas coisas afrontam a identidade católica, a práxis, a prática católica, então, sim, há uma condenação a tudo isso: ao comunismo, ao niilismo, ao socialismo e, também, você não citou, ao capitalismo. No Compêndio da Doutrina Social da Igreja, há uma condenação clara ao comunismo e também ao capitalismo.

O que não podemos é tomar uma parcialidade, tipo “Ah, a Igreja condena o comunismo” e ponto. Na verdade, a Igreja condena também, o capitalismo. O que precisamos entender, ao final das contas, é o que a Igreja condena? Já que temos que viver em um dos dois (capitalismo ou socialismo), qual é o que devemos escolher? Então entendemos que é mais fácil viver no capitalismo porque, ao menos, ele nos dá a liberdade religiosa do que no comunismo. Mesmo assim o capitalismo tem os seus problemas! Vemos, por exemplo, George Soros com Globalismo. Globalismo é um conceito capitalista! 

Tanto o capitalismo quanto o socialismo vão seguir o mesmo caminho, a diferença é quem tem o poder. No capitalismo o poder está nas empresas (vide George Soros), no socialismo o poder está no governo. E olhando, por exemplo, para o resultado da Lava Jato,sabemos que, na verdade, as grandes empresas e o governo, estão juntos. A verdade, portanto, é que há uma tentativa de dominação e tanto faz se o nome disso é capitalismo ou socialismo porque os dois estão de mãos dadas desde que eles consigam dominar corações e mentes, e fazer da gente o que bem quiser, e pra isso, têm que instruir famílias, etc.

Então, existe a condenação ao comunismo mas a carta encíclica do Papa Leão XVIII, não acarreta em excomunhão. Repetindo: há a condenação ao comunismo e ao capitalismo, no entanto, não há excomunhão automática de forma tão irrestrita, como muitos afirmam.

A questão da excomunhão é que haveria um decreto de excomunhão automática ipso facto (latae sententiaepara quem é comunista. Isso não existe, e as pessoas gostam de dizer, por exemplo, que "se você votou no PT está automaticamente excomungado", o que não procede. Primeiro porque não se trata de um decreto. Fosse assim, estaria revogado pelo Código de Direito Canônico (CDC) de 1983, mas não é um decreto, é uma consulta feita à Congregação para a Doutrina da Fé, na época pós-segunda guerra em que o mundo estava se dividindo entre capitalismo e comunismo. Naquela época, as pessoas queriam saber qual lado deveriam adotar então consultaram a congregação para saber se o comunismo é compatível com a fé católica e Congregação para a Doutrina da Fé respondeu que a prática comunista não é compatível com a prática católica. Por que prática? Porque a prática comunista, naquela época, que era o stalinismo, era fechar igrejas, proibir a fé, matar as pessoas que eram contra, etc... Então obviamente que, sendo assim, a prática comunista é incompatível. Então a resposta da Congregação para a Doutrina da Fé foi a seguinte: “Se você praticar o comunismo, ou seja, matar as pessoas, fechar as igrejas, proibir o culto, etc, você não consegue ser católico". É, portanto, preciso apostatar a fé católica pra se comportar desta maneira. E a apostasia é condenada, até hoje, pelo Código de Direito Canônico com a excomunhão automática.

Então, na verdade, a excomunhão – neste caso – é para a apostasia e não para o comunismo em si mesmo. Porém, naquela época, para praticar o comunismo daquela maneira (stalinismo), você precisava renunciar à fé católica. É impossível você matar um católico que frequenta uma Igreja, só porque ele entrou numa igreja, só porque ele é católico, se dizendo católico. Então é necessário renunciar à fé católica e, uma vez que você renuncia à fé sabendo o que está fazendo, você incorre em excomunhão automática. Não é simplesmente votar no PT, etc, a causa da excomunhão automática já que o socialismo hoje é muito mais fácil de conciliar, em termos de prática – não de ideologia – com a fé católica.

No meio católico, por exemplo, a cúpula das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s) - que é um movimento usado para a propagação das ideias socialistas – são cientes do que fazem mas os demais membros, o povão, a galera que participa ali, muitas vezes têm naquele movimento o único modelo de igreja que conhece, pra ele é só uma forma de preferência pelos pobres, etc. Ou seja, ideologicamente, doutrinariamente, o que acontece nas CEB’s está tudo errado, mas na prática eles apenas estão falando em ajudar o próximo, o que não é tão contraditório assim. É irreconciliável ideologicamente, doutrinariamente, mas na prática, não.

Hoje em dia a prática comunista (Gramscismo) já é tão disfarçada que vai atuar na cultura. ‘Você quer ajudar o próximo? Então ajude! Só que eu vou mudar a mentalidade pela qual você ajuda o pobre’. E é aí que se encontra o perigo porque a pessoa vai, aos poucos, apostatando sem saber. E o que é pior: ele apostata achando que ainda é católico! E isso é muito mais nocivo, só que não dá pra dizer que o indivíduo apostatou porque ele ainda acha que é católico, ele não renunciou de plena consciência à fé católica. Como ele não fez isso, ele não incorre em apostasia, e como ele não incorre em apostasia, ele não incorre em excomunhão.

Então, como vemos, na época da carta encíclica do Papa Leão XVIII, o comunismo era de uma forma (Stalinismo) bem diferente do comunismo atual (Gramscismo) que é muito mais perigoso e nocivo pelo fato de não ser evidente. Antigamente para ser comunista você fazia essa opção de forma muito clara, hoje não, você pode fingir que é as duas coisas (comunista e católico) ao mesmo tempo porque a prática é parecida, é o que chamamos de dominação cultural que os comunistas aprenderam a fazer muito bem, principalmente porque o povo em geral, não faz ideia nem da doutrina da Igreja, que dirá do socialismo e, por esse motivo, não têm plena consciência de que está indo contra a doutrina da Igreja.

Espero ter esclarecido,

Paz e bem!
______________________________________________
Com a grata colaboração de Alexandre (O Catequista)