Adsense Teste

sábado, 1 de outubro de 2016

Pedagogia Litúrgica para o mês de Outubro de 2016: "Liturgia e Missão".


Outubro é conhecido como mês missionário. É a proposta de uma oportunidade para as Equipes de Liturgia e as Equipes de Celebrações refletirem sobre Liturgia e Missão e sobre aspectos da missão da Pastoral Litúrgica na comunidade. Um tema a ser considerado e refletido a partir das muitas celebrações deste mês de outubro de 2016; seis ao todo.

A essencialidade da fé para a missão

O envio missionário coloca como exigência fundamental a fé, mesmo porque nem sempre o missionário tem clareza de sua missão, dado que o silêncio divino é grande e, por isso, nem sempre se manifesta de modo evidente qual missão deve ser realizada(27DTC-C). Mas, se de um lado existe o confronto com o silêncio de Deus, de outro lado, o mesmo 27DTC-C apresenta a humildade como condição indispensável para que o serviço missionário tenha êxito, principalmente quando este acontece dentro de um contexto social marcado pela corrupção e pela debilidade moral, como é caso de nossa Igreja, aqui no Brasil.

A missão de conduzir a Jesus Cristo

Outro elemento importante, no exercício missionário, consiste em reconduzir quem foi afetado pela lepra do pecado a voltar para Jesus, com ação de graças. Assim fez um dos dez leprosos curados por Jesus (28DTC-C). Nossa Pastoral Litúrgica tem a missão de ajudar os celebrantes a reconhecer Jesus como a fonte da Salvação para a humanidade, mostrando que nele está o modo de viver uma vida nova, pois purifica nossas vidas de todo tipo de lepra, seja de ordem corporal como espiritual.

É neste contexto que também entendemos a celebração de Nossa Senhora Aparecida, neste ano com o tema: “Rosto misericordioso de Maria”. Ela é considerada o exemplo de missionária da Igreja, seja pela sua humildade – uma das condições imprescindíveis do missionário (27DTC-C) – seja pela sua dedicação de mostrar o rosto misericordioso de Deus a quem está necessitado, como aconteceu nas Bodas de Caná. Nós que atuamos na Liturgia, somos convidados a agir do mesmo modo: através de nossas celebrações, de modo humilde e serviçal, mostrar o rosto misericordioso de Deus aos celebrantes. 

Missão e oração

Nenhuma atividade missionária pode prescindir da oração. Esta é outra força da missão e da Pastoral Litúrgica para o bom êxito da atividade missionária, presente no 29DTC-C. Nossa atividade missionária como Pastoral Litúrgica, na maior parte das vezes se parece a Moisés, que não desce no campo de batalha, mas que faz o povo vencer a batalha enquanto estamos de mãos erguidas, orando pelo nosso povo.

Celebrações missionárias, marcadas pela simplicidade de nossas preces, pela humildade com que nos colocamos diante de Deus, como ensina o Evangelho do 30DTC-C. Uma Pastoral Litúrgica missionária, portanto, realizada na humildade do serviço evangelizador, sem a pretensão de contar vantagens e vangloriar-se de belas celebrações, mas celebrar humildemente para ajudar nossa gente a louvar e agradecer sempre a Deus com sinceridade, como o publicano no fundo do templo (29DTC-C).

É também missão da Pastoral Litúrgica ter a capacidade de perceber aqueles que vergonhosamente buscam encontrar o Senhor, mas se sentem impedidos pela pequena estatura do respeito humano, pela baixa estatura da fé ou até mesmo, pela vergonha de estar numa igreja, como era o caso de Zaqueu (31DTC-C). É missão da Pastoral Litúrgica olhar para estas pessoas para apresentar-lhes Jesus.

Neste mesmo víeis, a missão da Pastoral Litúrgica de buscar aqueles que abandonaram nossas assembleias por considerá-las anônimas e frias, não para convencê-los que a Missa é um espetáculo de arte, mas para ajudá-los a se encontrarem com Jesus Cristo através de celebrações promotoras de encontro com Deus.


Serginho Valle
_______________________________________

Serviço de Animação Litúrgica