Adsense Teste

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Morre Cláudio Pastro, maior nome da arte sacra brasileira na atualidade


O artista sacro Cláudio Pastro faleceu na madrugada desta quarta-feira, dia 19, em São Paulo (SP). Ele estava internado há cerca de 15 dias no hospital Oswaldo Cruz, na capital paulista, e morreu em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).  O velório será no Mosteiro Nossa Senhora da Paz, em Itapecerica da Serra (SP). O sepultamento acontecerá às 16h no cemitério do Mosteiro, precedido da Eucaristia em ação de graças.

“Rezemos ao bom Deus que acolha em sua casa este servo bom e fiel!”, declarou o arcebispo de Diamantina (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Darci José Nicioli, ao divulgar a notícia nas redes sociais.

Autor das obras sacras do Santuário Nacional de Aparecida, Cláudio Pastro era um dos nomes mais renomados da arte plástica do Brasil.

“Este irmão, com quem pude ter boa amizade, serviu à Igreja no Brasil e em outras partes do mundo com seu dom extraordinário na área litúrgica. Na ressurreição, vai cantar as maravilhas de Deus eternamente”, declarou o arcebispo de Juiz de Fora (MG), dom Gil Antonio Moreira, responsável pelos bens culturais no regional Leste 2 da CNBB. 

Vida e obra


Cláudio Pastro nasceu em São Paulo, em 1948. Era considerado por especialistas de arte sacra como o brasileiro mais expressivo da atualidade nesta área. Grande devoto da espiritualidade beneditina, recebeu o título de oblato.

Reconhecido internacionalmente, realizou trabalhos em vários países como Itália, Alemanha, França e Espanha. Sua arte está presente em centenas de capelas, igrejas, catedrais e mosteiros espalhados pelo Brasil e no exterior, nos quais foi responsável pelos projetos arquitetônicos, pinturas, vitrais, azulejos, altares e peças litúrgicas. Um exemplo é a capela Nossa Senhora Aparecida, na sede da CNBB.

Em reconhecimento por sua relevante contribuição à arte sacra, Pastro recebeu o título de Doutor Honoris Causa, em 2007, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná.


Desde 1975, Pastro se dedicava à arte sacra, tendo cursado teoria e técnicas de arte na Abbaye Notre Dame de Tournay (França), no Museu de Arte Sacra da Catalunha (Espanha), na Academia de Belas Artes Lorenzo de Viterbo (Itália), na Abadia Beneditina de Tepeyac (México) e no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo.

Desde o ano de 2000, Cláudio Pastro teve incumbência de cuidar de toda a arte da Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida. O artista também foi o responsável pela criação de todas as peças litúrgicas que o papa Francisco utilizou na celebração das missas realizadas em Aparecida e no Rio de Janeiro em 2013.

Entre as obras mais recentes, está o memorial a Nossa Senhora Aparecida, inaugurado pelo papa Francisco nos Jardins do Vaticano no início de setembro.

Capela da CNBB

 


Inaugurada, em abril de 2002, no contexto das comemorações dos 50 anos da CNBB, a capela que recebe o nome da padroeira do Brasil foi projetada por Cláudio Pastro nos parâmetros da Liturgia Pós-Concílio Vaticano II, com característica Cristocêntrica contendo uma linha que direciona a liturgia. Marcando o presbitério, há um painel em folhas de metal dourado e escovado, que tem a imagem do Cristo Senhor (Pantocrator), sentado e tendo nas mãos o Evangelium.

O teto da capela recorda a tenda do Senhor e os bancos da assembleia envolvem o espaço litúrgico, gerando participação e comunhão. 

O altar e o tabernáculo em forma de arca na capela do Santíssimo são de bronze. As laterais da arca apresentam ilustrações do artista sacro: a Anunciação e Raboni (Senhor histórico e glorioso, que se anuncia a uma das primeiras discípulas); na frente, o cordeiro com a videira e embaixo, a frase do final do Evangelho de Mateus (Mt 28, 20b) “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo”. Na parte de trás, a Romã, que simboliza as núpcias do cordeiro, e o trecho bíblico “Formaste-me um corpo Venho para fazer a tua vontade” (Hb 10, 5).
___________________________________

CNBB / Rádio Vaticano