Adsense Teste

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

A predestinação Calvinista


Nunca diga no coração e nem com a boca: "O Senhor é quem me predestinou a pecar", porque Deus não precisa de pecadores e jamais faz o que ele detesta e abomina. Ele criou o ser humano livre e pôs diante de nós o fogo e a água. Ponhamos a mão no que quisermos. - Eclesiástico 15,13-16.

Esta doutrina diabólica apresenta O Deus de Amor como um ser pior do que o diabo. Leia e entenda.Os protestantes presbiterianos e alguns batistas ensinam que “ uma vez salvo, salvo para sempre”. Herdaram este ensinamento de João Calvino, fundador do calvinismo, que interpretou erroneamente a palavra de Jesus: “Eu conheço as minhas ovelhas e lhes dou a vida eterna e foi meu Pai que as me deu e ninguém pode arrebatá-las de minha mão” (João 10,28). Calvino dizia que é impossível que um eleito perdesse a salvação. Com versos isolados que falam que Deus nos predestinou para a salvação desde a fundação do mundo (Efésios 1,3-9) - no caso predestinou coletivamente e não individualmente - Calvino criou essa heresia que faz de Deus um psicopata, porque os calvinistas pregam que foi Deus quem predestinou o diabo a ser diabo e bilhões de pessoas a irem ao inferno. Pense que doutrina diabólica!

A Bíblia combate essa heresia com as seguintes palavras: “Procurai cada vez mais confirmar e ratificar a vossa eleição, porque procedendo assim jamais tropeçareis e só assim é que vos será permitida a entrada no Reino de Deus e de Cristo” ( 2 Pedro 1,10) e Paulo escreveu que mesmo um eleito deve vigiar para não cair (Hebreus 6,4-8). Os presbiterianos insistem que: “Quem é o ser humano para resistir à graça de Deus?!” Mas a Bíblia ensina o contrário. Deus disse: “Eu te amei e com cordas de amor eu te atraí, mas quanto mais eu te amava, mas te afastavas de mim” (Oséias 11,1-4). Alguém teria coragem de dizer que isso não é resistir à Graça? E Deus disse ainda: “Eu lhes falava pelo Meu Espírito e pleiteava com eles, mas eles endureceram o coração como diamante e não quiseram seguir minhas leis e nem meus mandamentos” (Zacarias 7,11-13). Alguém teria coragem de dizer que isso não é resistir à Graça? O Filho de Deus quando esteve na Terra chorou a desgraça dos habitantes de Jerusalém e disse: “Quantas vezes eu os quis ajuntar como a galinha ajunta os pintinhos embaixo das asas, mas vós não o quisestes” (Lucas 19,41-45; Mateus 23,37). Alguém tem coragem de dizer que a Graça não pode ser resistida? Faça-me o favor!

Deus prevê as coisas NÃO porque ele vai fazer com que aconteçam e sim porque pode ver as escolhas que suas criaturas farão.

A Bíblia não esconde: Deus é Onisciente, ou seja, ele sabe todas as coisas: as que eram, as que são e as que virão, isso é fato (Apocalipse 1,8). Mas o fato de Deus saber o que vai acontecer, não significa que ele queira que aquilo aconteça! Por exemplo, a Bíblia diz que Deus estava com Seu Filho, antes de ele criar esse tecido cósmico onde nos pôs: a nós, aos vegetais, aos animais, ao restante da matéria e aos astros ( Provérbios 8,22-31) e para nos criar, houve um plano (Apocalipse 4,11) e Deus, na hora em que fez o plano, com certeza usou a onisciência dele para saber que decisões suas criaturas tomariam e, ao analisar isso, ele e o Filho Dele e o Espírito Santo elaboraram o Plano da Salvação (Apocalipse 13,8) e por isso é correto falar que o Filho de Deus já tinha sido morto desde antes da fundação do mundo (1 Pedro 1,20). É aí que entra a predestinação bíblica: 

Deus nos predestinou de forma coletiva e não como indivíduos. Ele quer que todos se salvem (1 Timóteo 2,1-3) e deseja que todos cheguem ao arrependimento (II Pedro 3,9) e diz a sua Palavra que sua graça trouxe salvação a todos os seres humanos (Tito 2,11) e que seu Filho morreu por todos (2 Coríntios 5,15). Deus inseriu a todos no Plano de Salvação (João 3,16) e disse: “Vim para que TODOS tenham vida e vida com abundância” (João 10,10) e ainda: “Quem quiser venha e beba de graça a água da vida” (Apocalipse 22,17). Então predestinou toda a humanidade a receber os benefícios da morte de Seu Filho Amado. Os calvinistas não entendem e acusam os cristãos que não acreditam na predestinação individual dizendo: “Para vocês a salvação não é divina, mas depende de uma decisão humana”. Mas isso é uma acusação descabida, porque a Bíblia é clara: Quem fez o Plano e nos inseriu nele foi Deus, antes da fundação do mundo (Ef 1,3-9; Rm 8,26-33), Deus veio aqui e nos salvou na cruz (Atos 20,28) e o Espírito Santo bate na porta do coração e nos convence da justiça, do pecado e do juízo (João 16,8; Gn 6,3), mas a resposta final é nossa, ou seja, se queremos ou não a salvação (Apocalipse 3,19-20). 

Deus preferiu nos dotar a nós e aos anjos com a capacidade de decidir isso: se queremos amá-lo ou não. Eu pergunto aos calvinistas casados: vocês escolheram a pessoa com quem iriam casar-se ou foram predestinados? Vocês escolhem a comida que desejam comer ou já foram predestinados? Se um assaltante te abordar na rua, Deus não pode te proteger porque já está predestinado que ele pode te tirar a vida? Pensem nisso!

É verdade que houve pessoas na Bíblia que antes de nascer, Deus já tinha expressado aos profetas detalhes sobre a vida delas e as escolhas que fariam: certas ou erradas como, por exemplo, Esaú e Jacó (Romanos 9,6-16), o bondoso rei Josias (1 Reis 13,5-12), Jeremias ( Jr 1,4-13), o rei Davi (Salmo 139,6-15) e detalhes sobre como seria o nascimento, a vida. Os ensinamentos, os milagres e a morte e ressurreição do Filho de Deus, Cristo Jesus (Is 7,14; Is 35,4-9; Is 61,1; Is 50,4-9; Is 53,1-12; Salmo 16,10; Salmo 22,1-14). Agora é óbvio que nestes casos, Deus simplesmente usou o poder que ele tem de ver o futuro e viu as escolhas que estas pessoas fariam e as descreveu. Não significa que Deus as tenha forçado a ser daquele jeito ou predestinado àquilo. 

Só para lembrar, no caso do rei Josias, mesmo Deus predizendo que ele seria um rei justo, bondoso, mas ainda assim, quando ele deixou de confiar em Deus, ele fez uma escolha errada que lhe custou a vida (2 Cr 35,1-27) e o Filho de Deus, embora soubesse todas estas profecias que de antemão estavam escritas sobre ele, ainda assim tinha livre arbítrio e era livre para desistir da missão (tanto que na noite antes de sua morte perguntou se não haveria como o Pai passar dele aquele cálice de sofrimento – cf. Marcos 14,29). 

Um dos eleitos de Deus pode perder a salvação?

Pode sim. O Filho de Deus foi claro: “aquele que perseverar até o fim, este será salvo” (Mateus 24,12-13) e disse ainda: “sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida” (Apocalipse 2,10). O apóstolo Pedro escreveu: “procurai cada vez mais confirmar a vossa eleição, pois procedendo assim, jamais tropeçareis e só assim é que será permitida a entrada vossa no Reino de Cristo” (2 Pedro 1,10). Paulo falou de pessoas que conheceram a Deus, provaram os dons celestiais e abandonaram a fé ( Hebreus 6,4-9) e Pedro disse: “A porca lavada voltou a revolver-se no lamaçal e o cão voltou ao seu vomito” (2 Pedro 2,21-23). Então é possível sim a um eleito perder a salvação. Estejam certos: se entregarmos a nossa vida nas mãos de Deus, com certeza nós sempre faremos as melhores escolhas e as escolhas certas.