Adsense Teste

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Comportamento na Santa Missa


Hoje em dia, infelizmente, muitos não se importam com as maneiras de se vestir e de agir no Santo Sacrifício da Missa. Alguns afirmam que “tanto faz, o que importa é o coração”. Mas o que realmente diz a santa Igreja de Cristo, em seus documentos, a este respeito?

O Catecismo diz que, no momento da Sagrada Comunhão, “a atitude corporal, – gestos, roupa, – há de traduzir o respeito, a solenidade, a alegria deste momento em que Cristo se torna nosso hóspede"(§1387). Por que o Catecismo mencionaria algo aparentemente tão secundário quanto o modo de vestir? Por que a Santa Missa é a renovação do Sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo, verdadeiro Deus, que nos resgatou dos nossos pecados e da morte na Cruz; tal Sacrifício se torna verdadeiramente presente na Santa Missa, no momento em que pão e vinho se tornam, verdadeiramente, Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor (CIC §1373 - §1381).

Sendo assim, a orientação é para que as pessoas não usem, nesse momento tão sagrado, roupas exageradamente informais, ou que mostrem demais o corpo, que marquem os seus contornos de forma provocativa, como decotes profundos, shorts, miniblusas, etc. Afinal, vamos à igreja para encontrar Deus ou para seduzir as pessoas do sexo oposto? Por acaso é a Missa uma ocasião para desfilar sensualidade, para atrair olhares cobiçosos? Evidente que não. – Ocorre que, às vezes, até sem perceber uma mulher é capaz de desviar a atenção de um homem (ou de diversos homens), que compareceram àquele lugar com intenções de santidade. Convém evitar tudo o que contrarie a alegria pura, a solenidade e o respeito da Celebração.

Outro ponto muito interessante a se observar é que o mais elementar bom senso, partindo do princípio de solenidade que o Catecismo menciona, avisa que é muito melhor usar calça do que bermuda ou shorts. Não se vai a uma entrevista de emprego, por exemplo, usando bermuda. Não se entra num tribunal usando shorts. Então, por que tantos acham muito "normal" ir à Casa de Deus vestidos assim? – Partindo do princípio do respeito pelo Sagrado e da não banalização da celebração sagrada, é muito simples entender porque é melhor que uma mulher use uma saia abaixo do joelho ou vestido sóbrio, – ou pelo menos uma calça discreta, – do que uma calça colante, apertadíssima. E porque é melhor que um homem use camisa ou camiseta tipo polo do que uma camiseta modelo regata.

Obviamente, essas orientações devem ser levadas ainda mais a sério por aqueles que exercem funções litúrgicas, como leitores, músicos e, especialmente, os ministros extraordinários da Comunhão Eucarística. Estes acabam servindo como modelo de comportamento para toda a assembleia.

Até há pouco tempo era comum a expressão popular “roupa de Missa”. Em algumas cidades do interior ainda se chama assim à melhor roupa que uma pessoa tem. Como seria bom se todos os católicos recuperassem essa consciência, de que é preciso se apresentar da melhor maneira diante da Casa de Deus!

Vale lembrar, ainda, que o modo de se vestir e de se comportar na igreja deve ser integrado às normas e símbolos litúrgicos, como os paramentos, as velas, o incenso, o gestual... Tudo é parte da necessidade de manifestar, com sinais externos, à fé no que acontece no Santo Sacrifício da Missa, bem como de manifestar externamente a honra devida a Deus. A atitude interna é fundamental e mais importante, isto é indiscutível, mas desprezar as atitudes externas é um erro. Essa atenção e esse carinho também são necessários ao entrar na Igreja.

Neste ponto faz-se necessário um esclarecimento: aqui não se está afirmando, absolutamente, que é preciso estar soberbamente trajado para adentrar um templo católico: é evidente que não. A Celebração Eucarística, se não é ocasião para seduções sensuais e para a descontração inadequada, também não é desfile de moda. Existe uma diferença imensa entre usar roupas caras e chiques, com as grifes do momento, e se vestir com a dignidade que é possível a cada um.

Algumas outras admoestações importantes, que de tão óbvias parecem ridículas, de detalhes que se andam esquecendo por aí: se você estiver comendo algo ao entrar na igreja, guarde para comer depois, por uma simples questão de respeito. Temos ouvido o testemunho de padres sobre pessoas que entram na fila da Eucaristia e se aproximam para comungar, – a hora mais sagrada de toda a Celebração, – mascando chicletes! Nunca, jamais faça isso! A Eucaristia não é apenas um símbolo, é Deus (verdadeiramente) Conosco; a igreja não é playground; a Missa é infinitamente mais do que uma reunião festiva entre bons amigos: é a maior ocasião de adoração e de comunhão com o Sagrado que nos foi concedida, e exige reverência.

O telefone celular daria um capítulo à parte. Em nome de todos os que querem rezar, suplicamos: desligue-o ao entrar na igreja! – A humanidade sobreviveu milhares de anos sem este abençoado aparelhinho, e você não vai morrer se ficar sem ele uma por hora, aos domingos. – Mas, se desligar for um sacrifício assim tão insuportável para você, pelo menos mude a chamada para o modo vibracall. Faça-o, por favor, logo ao entrar na igreja, este é o melhor jeito de não esquecer depois, para que não toque durante a Celebração; sacerdote nenhum merece ter a Homilia interrompida por uma chamada. 

Também devemos prestar atenção ao levar crianças muito pequenas à igreja. Os pequeninos são sempre muito bem vindos ao encontro com Nosso Senhor, mas se o bebê chora ou grita demais, talvez não seja conveniente ir sentar nos primeiros bancos, à frente de todos, de onde o barulho vai incomodar muito mais do que se você estivesse mais atrás. É muito importante levar nossos filhos o mais cedo para a igreja, mas também é fundamental explicar, o quanto antes, o que é a Missa. Assim, daqui há alguns anos, ele estará pronto para desfrutar as maravilhas que Cristo nos preparou.

Devemos lembrar sempre que a Missa é sagrada. Temos momentos de alegria nas celebrações, mas alegria não é sinônimo de bagunça. Celebrar o Sacrifício da nossa salvação é coisa muito séria, e ultimamente têm-se perdido o senso crítico ao entrar na Casa do Senhor, e talvez a consciência de que a Missa é importante em todas as suas partes. Lembremos que é Nosso Senhor Jesus Cristo sendo oferecido pela nossa salvação, – que nós vemos, tocamos e provamos.

"Lembro-me de como as pessoas se preparavam para comungar: havia esmero em arrumar bem a alma e o corpo. As melhores roupas, o cabelo bem penteado, o corpo fisicamente limpo, talvez até com um pouco de perfume. Eram delicadezas próprias de gente enamorada, de almas finas e retas, que sabiam pagar Amor com amor. (...) Quando na terra se recebem autoridades, preparam-se luzes, música e vestes de gala. Para hospedarmos Jesus Cristo em nossa alma, de que maneira não devemos nos preparar?” (São José Maria Escrivá – “Homilias sobre a Eucaristia”, Ed. Quadrante).
_____________________________
O Fiel Católico