Adsense Teste

terça-feira, 28 de junho de 2016

SP: Basílica Nossa Senhora do Carmo é alvo de vandalismo



A Basílica Nossa Senhora do Carmo, que fica no Centro de Campinas (SP), foi alvo de vandalismo e amanheceu com a porta principal pichada neste domingo (26). Quando os fiéis chegaram para a missa desta manhã encontraram escritas as palavras "aborto livre" com tinta branca.

Segundo a dona de casa Ana de Oliveira, que foi a missa nesta manhã, o clima era de tristeza e indignação entre os fiéis.

"Uma judiação o que fizeram. Ninguém sabe quem foi, pois foi pichada durante a madrugada. Eu frequento a missa todo domingo às 10h e ficou um ar de tristeza e falta de respeito com a casa de Deus. É um absurdo. Tem que ter respeito, né, com qualquer religião", afirmou.

Taxistas da Praça Bento Quirino ficaram revoltados com a pichação da porta principal da Basílica. Segundo testemunhas, quatro adolescentes que participavam do “esquenta” da Parada Gay no sábado (25), por volta das 21h, atravessaram a Avenida Benjamin Constant com latas de sprays e picharam a igreja, uma banca de jornal da Praça, o busto de César Bierrenbach e a porta de um restaurante japonês na Rua Sacramento.

História

 
A Basílica do Carmo está em fase final de restauração, obra custeada com recursos dos paroquianos que consumiu R$ 600 mil apenas na fachada entregue no final do ano passado. A ação de vandalismo revoltou fieis e o pároco, Cônego Jeronymo Antonio Furian, que lamentou a falta de educação de algumas pessoas e o desrespeito com o patrimônio histórico da cidade. “Há oito anos lutamos para concluir a restauração do prédio. O imóvel já foi pichado duas vezes. Dessa vez escreveram ‘Aborto Livre’ na entrada e ‘Corpo Livre’ na lateral”, disse o cônego.

Passando pela praça da Basílica do Carmo, a caminho do ponto de ônibus, a auxiliar de cozinha Maria Quitéria Almeida, 32 anos, considerou um absurdo a falta de respeito com o prédio da igreja. “Não concordo com a frase e nem com o que fizeram”, criticou.

A Guarda Municipal chegou uma hora após o chamado. De acordo com reclamações dos taxistas, os GMs teriam se negado a acompanhar o taxista João Francisco Bonzanino, que chamou a polícia e se dispôs a identificar as quatro garotas, que aparentavam ter em torno de 15 anos. Outra testemunha disse que a ação foi filmada pela câmera da Cimcamp. “Basta agora vontade para identificar as autoras”, disse Bonzanino. “Que respeito se pode ter com pessoas que fazem isso?”, questionou. O comando da GM informou não ter registro de chamada para essa ocorrência na Central Integrada de Monitoramento, mas vai apurar o que aconteceu.

 
Na tentativa de encobrir os estragos, a igreja mantém uma lata de tinta da mesma cor do prédio, o problema maior é recuperar a aparência da enorme porta de entrada feita em madeira de lei. “Vamos entrar em contato hoje com a empresa de engenharia responsável pela obra. É uma pena porque a obra vem sendo feita com muita luta”, lamentou.

O prédio é tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas (Condepacc). Ele foi construído em estilo neogótico e na última década do século XIX, passou por restauração.

A Basílica do Carmo como pode ser vista hoje foi inaugurada em 16 de julho de 1940, após ter sido reconstruída sob os fundamentos da matriz antiga de taipa de pilão. O projeto da igreja previa uma construção mais alta, em legítimo estilo gótico, mas a crise do café fez minguar os recursos e abaixou a altura do templo. O edifício mede 18,50 m de frente e 52,20 m de fundo, segundo informações do site da igreja.
____________________________________
Com infomações: G1/ Correio Popular