Adsense Teste

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

O mal do catolicismo no Brasil


Querem saber qual o grande mal do catolicismo no Brasil? Ele tem nome, endereço, CEP, CPF, etc. Tem identidade! O grande mal se chama "'teologia' da libertação" (com letras minúsculas mesmo), entendida como tem sido entendida por muitos, no Brasil.

Tudo deriva deste câncer. Muitos homens e mulheres da Igreja fizeram e ainda fazem ouvidos de mercador aos Documentos oficiais sobre a correta impostação desta "teologia": "Libertatis Nuntio", de 06 de agosto de 1984 e "Libertatis conscientia" de 22 de março de 1986. Este mal esteve, de certa forma, dissimulado durante os pontificados de João Paulo II e Bento XVI. Agora, ressurge com sua monstruosidade, produzindo as mais extravagantes situações, causando confusão entre os fiéis católicos. Especialmente a primeira Instrução (Libertatis Nuntio) é de uma clareza meridiana. Vale a pena reproduzir um parágrafo da Introdução:

“A Congregação para a Doutrina da Fé não pretende tratar aqui o vasto tema da liberdade cristã e da libertação em si mesmo. Propõe-se fazê-lo num documento posterior, no qual porá em evidência, de maneira positiva, toda a sua riqueza, tanto para a doutrina como para a prática.

A presente Instrução tem uma finalidade mais precisa e mais limitada: quer chamar a atenção dos pastores, dos teólogos e de todos os fiéis, para os desvios e perigos de desvio, prejudiciais à fé e à vida cristã, inerentes a certas formas da teologia da libertação que usam, de maneira insuficientemente crítica, conceitos assumidos de diversas correntes do pensamento marxista. 
Esta advertência não deve, de modo algum, ser interpretada como uma desaprovação de todos aqueles que querem responder generosamente e com autêntico espírito evangélico à «opção preferencial pelos pobres». Nem pode, de maneira alguma, servir de pretexto para aqueles que se refugiam numa atitude de neutralidade e de indiferença diante dos trágicos e urgentes problemas da miséria e da injustiça. Pelo contrário, é ditada pela certeza de que os graves desvios ideológicos que ela aponta levam inevitavelmente a trair a causa dos pobres. Mais do que nunca, convém que grande número de cristãos, com uma fé esclarecida e decididos a viver a vida cristã na sua totalidade, se empenhem, por amor a seus irmãos deserdados, oprimidos ou perseguidos, na luta pela justiça, pela liberdade e pela dignidade humana. Hoje mais do que nunca, a Igreja propõe-se condenar os abusos, as injustiças e os atentados à liberdade, onde quer que eles aconteçam e quaisquer que sejam seus autores, e lutar, com os seus próprios meios, pela defesa e promoção dos direitos do homem, especialmente na pessoa dos pobres."

Dom Antonio Carlos Rossi Keller                           
Bispo de Frederico Westphalen
________________________________
Da página do facebook, reproduzido por O Fiel Católico