quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

PL 122 – A Guerra virou Guerrilha


Nesse maravilhoso tempo de Advento, nós brasileiros ganhamos um presentão de Natal: o projeto de lei de criminaliza a oposição às práticas homossexuais (o PLC 122/2006) foi pro ralo, e o Plano Nacional de Educação foi aprovado sem fazer nenhuma menção ao gênero e à orientação sexual.  Porém, vamos festejar de olhos bem abertos, pois ganhamos a guerra, mas o exército que combatíamos sumiu e tudo agora virou guerrilha.

Bem, antes de falar sobre os novos desafios, vamos sim, comemorar nossa vitória! O que isso significa para nós, cristãos? A morte da PLC 122 significa que poderemos continuar dizendo publicamente que as práticas homossexuais são imorais, sem que isso nos leve para o xilindró. Respeitamos os homossexuais, mas não somos obrigados a pensar como eles; seguimos tendo direito de que respeitem nossa liberdade de expressão.




Pra você entender melhor o problema da PLC 122: se um professor de educação física do Maternal (crianças de 2 a 3 anos) resolvesse do dia pra noite começar a se vestir como mulher e ir trabalhar assim, os donos da escola não poderiam demiti-lo, e nem os pais poderiam abrir a boca pra reclamar. Do contrário, poderiam ser presos por crime de discriminação.

Por enquanto, nos livramos desse absurdo. Não é à toa que o Dimitri tá comemorando…


Quanto ao Plano Nacional de Educação, o texto anterior obrigava todas as escolas do país, públicas ou particulares, a ensinar a ideologia de gênero e a promover a educação sexual. Pelo belo nome de educação sexual, entendam “didática da sacanagem”: estímulo à masturbação e ao acesso de conteúdo pornográfico, difusão da ideia de que pode transar à vontade, desde que use camisinha… e por aí vai. Já mostramos isso neste outro post e também nesse programa da Liga dos Blogueiros Católicos (a partir de 1:10).

Bem sabemos que isso já é feito amplamente em muitas escolas, mas a partir de então a perversão da mente das crianças seria intensificada, e até mesmo as escolas católicas e evangélicas seriam obrigadas a transmitir esse conteúdo demoníaco.

E o que é ideologia de gênero? É ideia de que, além de ter um sexo – masculino e feminino –, cada pessoa possui uma identidade de gênero e uma orientação sexual, que não necessariamente têm relação com seu sexo. Por exemplo, uma  pessoa pode ter nascido mulher, mas se ela se sentir homem, então essa é a sua identidade de gênero: masculina. E o gênero de uma pessoa é o que determinaria o seu papel na sociedade, e não o seu sexo.


Achou confuso? Então aguarde, pois amanhã publicaremos um post explicadinho!

Os socialistas sonham em fazer do Brasil uma Suécia, uma Holanda, porém, sem os benefícios sociais de primeiro mundo, obviamente. Só imitaríamos a parte escrota mesmo: um sistema educacional que leve as crianças e jovens a perderem toda a noção de razoabilidade, pudor e moral no campo da sexual.

Agora, preste atenção!  Os inimigos da família perderam essas duas batalhas no Senado e isso é ótimo! Mas fiquemos alertas, pois eles ainda têm cartas na manga. O PL 122 morreu mas seu fantasma vai continuar rondando o legislativo brasileiro.

Explico: o PL 122 foi apensado (anexado) ao Projeto de Lei que muda o Código Penal.  Na prática ele deixa de existir, mas o fato de estar anexado a outro processo significa que os autores do PL 122 entendem que o novo Código Penal será suficiente para aplicar o que eles queriam originalmente.  Ou seja, a batalha agora será para trazer os conceitos do PL 122 pra dentro da redação dos parágrafos do Código Penal, que ainda será votado. Essa estratégia é bem mais inteligente porque pulveriza a discussão.  É muito mais difícil acompanhar e fazer oposição à essas mudanças pontuais no novo Projeto de Lei do Código Penal.

E mesmo que sejamos muito vigilantes ainda existe uma outra estratégia possível: deixar o texto do Código Penal genérico o suficente para conseguirem reiterpretações no STF, como foi feito com o Aborto e a União Civil Homossexual.

Antes era guerra… agora virou guerrilha!

Valei-nos Jesus Menino! Proteja as crianças do Brasil, e capacite os cristãos de todo o mundo a lutar pelo bem da família.
_________________________________
Fonte: O Catequista

Nenhum comentário:

Postar um comentário