Adsense Teste

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Parem o Islã!


Olá pessoal, meu nome é Mona Walter, como vocês podem ver, sou uma negra africana, mas eu moro na Suécia há 20 anos, e na Suécia foi onde descobri o Islã e o que o Islã defende, e o que o Islã significa para os não muçulmanos, os descrentes “karfis” como vocês.

De acordo com o Islã, eu tenho que me cobrir toda senão sou uma puta; de acordo com o Islã, meu marido pode me bater; de acordo com o Islã, judeus e cristãos não têm direito de serem judeus ou cristãos; de acordo com o Islã, meninas jovens tem que se casar com a idade de nove anos.



Eu gostaria que vocês pudessem ler os textos islâmicos, que vocês pudessem ler o Alcorão, que vocês pudessem ler os ensinamentos de Maomé, e em comparação com a democracia e os direitos humanos, se a gente não ficar de pé e não lutar contra o Islã, se a gente não lutar contra os apologistas, contra o politicamente correto, nós vamos ter a Sharia, é isso que vai acontecer com nossas crianças.

Nossas crianças vão ter duas escolhas: virarem muçulmanas ou morrerem! É o que está acontecendo no Iraque e na Síria, e as pessoas ainda têm a cara de pau de dizer que isso não tem nada a ver com o Islã, o que o ISIS está fazendo não tem nada a ver com Islã, o Boko Haram..., que não tem nada a ver com Islã.

Então temos que ficar de pé e lutar por nossos direitos humanos, temos que lutar por nossa democracia, temos que lutar juntos e dizer NÃO ao Islã, dizer NÃO à Sharia, porque há cem anos atrás, algo aconteceu na Turquia. Os muçulmanos decidiram que não queriam mais permitir cristãos, eles mataram três milhões de cristãos. Armênios, assírios,... tiveram duas opções: morrer ou virar muçulmano! E três milhões de cristãos foram mortos só por serem cristãos. Se você quiser isso, diga sim ao Islã mas se não quiser isso diga NÃO ao Islã. NÃO ao Islã e SIM à democracia e aos direitos humanos.

Juntei algumas fotos e queria que vocês vissem, quero que vocês olhem o que o Islã faz com quem não acredita no Islã, e que o Islã tem ódio dos descrentes, os “karfis” como eu e vocês.

Arábia Saudita: Os quatro dedo de quem for pego lendo a Bíblia são cortados 40 ou 50 vezes até o osso. 

Essas pessoas foram mortas só por serem cristãs, eles não creem em Alá, eles não creem no Islã. A razão de morrerem foi rejeitar o Islã, e isso é o que vai acontecer se não lutarmos.





Tá vendo isso? O povo vai dizer que não têm nada a ver com o Islã. Mas no Alcorão, o livro islâmico Alcorão diz: “Mate aqueles que não acreditam”. E é isso que eles seguem! Se alguém disse: “ISIS não tem nada a ver com Islã”, “Boko Haram não tem nada a ver com Islã”, são mentirosos! Isso é o Islã! Tá vendo?


O Alcorão diz: “crucifique-os” (5:33), crucifique aqueles que não creem em Alá, os que combatem Alá e seu profeta, crucifique. Tá vendo? Isso é o que eles fazem! Hoje? Sim, hoje! Na Síria está acontecendo isso, na África está acontecendo isso! Os muçulmanos pegam as menininhas e estupram. Então eu peço que vocês lutem porque se lutarem vão ser chamados de racistas, vão ser chamados de “islamofóbicos”, mas vocês têm que lutar, esta é a ferramenta para silenciá-los, a ferramenta para silenciar é chamada de racista, “islamofóbico”, e que odeia muçulmano. Mas eu não odeio as pessoas, muçulmano é gente como eu e você, mas eu rejeito o Islã e a razão para eu rejeitar é que o Islã não crê em liberdade de religião, o Islã não crê em liberdade de expressão, liberdade de as pessoas viverem juntas como vocês e eu. Nós vivemos juntos, nós respeitamos as pessoas.

Quando eu vim para a Suécia eu era uma muçulmana, mas eu não conhecia minha religião, nunca tinha lido o Alcorão, eu não sabia de nada. Só era uma muçulmana, só era uma boa pessoa, como milhões de muçulmanos, eu não conhecia o Islã! Mas quando eu vim pra Suécia, foi aí que eu comecei a ler o Alcorão, foi aí que eu comecei a estudar os textos islâmicos, e foi aí que eu vi que eu tinha que odiar as pessoas que não acreditavam em Alá, que eu tinha que mandar as pessoas virarem muçulmanas e se elas recusassem, quando eu tivesse chance, eu deveria matá-las. Esse é o ensinamento do Islã! Não é o que normalmente se pensa, mas é essa a ideologia que diz: mate quem não acredita no Islã. Então, por favor, lute todos os dias, porque se não lutar, seus filhos vão viver sob a Sharia.

Seus avós lutaram contra Hitler, eles o pararam. Se não tivessem parado, vocês não estariam aqui hoje. Eu não tava aqui hoje na Europa, como mulher negra. Se Hitler tivesse ganhado, eu não ia estar aqui. Não iria ter democracia nem direitos humanos, não teríamos nada. Vocês podem imaginar? As pessoas vão para a guerra. Morrem para que possamos ter liberdade.


Hoje, há mais de 56 países cuja lei é a Sharia, não há liberdade de expressão, não há democracia, nem direitos humanos. Barbaridade total! Então é isso que muitos muçulmanos querem, é o que querem: forçar vocês.

Tem muçulmano que quer a lei de Alá e não vão parar até conseguir, não vão parar até forçá-los à Sharia. E aí, o que vão fazer? – Pará-los! – Pois é, dizemos NÃO! NÃO à Sharia e SIM à democracia. É o que temos que fazer.

Tem gente que me chama de “islamofóbica”, tem gente que fala que eu sou só metade negra, tem gente que cospe em mim na rua, tem gente que quer me dar palestra sobre o Islã, e “buuu...” lá vem a vaia, e gritam e jogam coisas em mim, mas eu não paro, porque se eu parar eles vão vencer e meus filhos vão viver sob a Sharia, isso é o que vocês têm que parar. Muito obrigada!


Mona Walter
Dinamarca, Maio de 2015
_____________________________________
Ex-muçulmanos