Adsense Teste

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Corporal e Sanguíneo: objetos litúrgicos.


O Corporal


O corporal (do latim corporalis, relativo ao corpo) é um pano quadrado, dobrado em nove pequenos quadrados, colocado sobre o altar durante a Liturgia Eucarística e sobre o qual são colocados o cálice, a patena e os cibórios.

Geralmente o corporal é feito de linho ou outro pano branco e permanece sempre dobrado, a fim de preservar possíveis fragmentos das Sagradas Espécies que venham a cair. E esta é justamente sua principal finalidade: reter possíveis fragmentos das Sagradas Espécies que caiam.

O corporal, sobretudo quando tem de ser transportado, convém ser colocado dentro de uma bolsa própria, de nome bursa. A bursa pode ser da cor litúrgica da celebração ou sempre branca.

Para a Celebração Eucarística, o corporal é colocado dobrado sobre o cálice e levado ao altar junto deste no momento da Apresentação das Oferendas. Não se deve estender o corporal sobre o altar desde o início da celebração. Durante toda a Liturgia Eucarística o corporal permanece estendido no altar, tendo sobre si os vasos sagrados. Após a Comunhão, é novamente dobrado e levado com o cálice novamente para a credência.

Para dobrar o corporal, dobrem-se primeiramente os três quadrados mais próximos da pessoa em direção aos três do meio. Em seguida, dobram-se os três mais distantes sobre os três do meio. Dobram-se então os dois quadrados das extremidades sobre o do centro. Para desdobrar o corporal, proceda-se de modo inverso.

Para a lavagem do corporal, bem como de todas as alfaias que têm contato com as Sagradas Espécies, enxague-se uma primeira vez e jogue-se a água em uma planta ou em água corrente. Só então lave-se normalmente.

O Sanguíneo


O sanguíneo ou sanguinho (do latim sanguinis, relativo a sangue) é um pano retangular, de linho ou de outro tecido branco, utilizado para enxugar o cálice e os cibórios após a purificação. Pode ser ornado com  uma pequena cruz ou símbolo eucarístico. Não há um tamanho oficial para o sanguíneo. Convém, porém, que este seja proporcional ao cálice.

Para a Celebração Eucarística, o sanguíneo é colocado sobre o cálice, com suas abas pendentes de um lado e de outro, e levado ao altar junto deste no momento da Apresentação das Oferendas. Durante a Liturgia Eucarística permanece sobre o altar, junto do cálice. Após a Comunhão do sacerdote, é utilizado para empurrar eventuais fragmentos da hóstia da patena sobre o cálice e para secar a borda deste. Após a Comunhão dos fieis, é levado com o cálice para a credência e utilizado na purificação dos vasos sagrados.

Se necessário, podem-se utilizar um número maior de sanguíneos, sobretudo nas grandes concelebrações, nas quais há mais de um cálice a ser purificado.

Para a lavagem do sanguíneo, vale o mesmo princípio da lavagem do corporal: enxague-se uma primeira vez e jogue-se a água em uma planta ou em água corrente. A segunda lavagem se faz normalmente, como qualquer outra peça de tecido. Se necessário, com sabão. Importante lembrar que o sanguíneo deve ser utilizado uma vez e então lavado, para só então ser utilizado novamente.

No caso de um sanguíneo muito velho procede-se para o seu desuso e basta certificar-se que não há fragmentos de hóstias (no caso de dúvida, seria bom lavá-lo) e, em seguida, pode ser queimado.

___________________________

Pílulas Litúrgicas