Adsense Teste

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Fundação AIS pede um tempo de oração hoje pelos cristãos perseguidos


Há imensas datas, imensos rostos desta tragédia, mas a fuga de milhares de cristãos da planície de Nínive, no dia 6 de Agosto de 2014 ficará para sempre escrito na História como um dos símbolos maiores da perseguição aos cristãos nos tempos recentes.

Dia 6 de Agosto. Perante a chegada iminente dos homens de negro do auto-proclamado “Estado Islâmico” e a deserção das forças iraquianas e curdas dos “peshmergas”, que asseguravam a defesa da região, milhares de pessoas não tiveram outra alternativa senão a fuga.

A cidade de Mossul esvaziou-se num instante num caos indiscritível que prenunciava já os tempos de sofrimento que todas aquelas famílias passaram a viver. Milhares de homens, mulheres e crianças fugiram com o que tinham vestido. Não houve tempo para mais.

Para trás ficou o que tinham. As casas, as roupas, os haveres, as economias de uma vida. Para trás ficou uma parte da vida. Para sempre. Desde o dia 6 de Agosto do ano passado, milhares de pessoas tornaram-se refugiados, passaram a depender da ajuda da comunidade internacional para sobreviverem.

Tinham casa, carro, empregos, sonhos. De um dia para o outro, milhares de cristãos em fuga passaram a abrigar-se em igrejas, em tendas, em contentores. O passado, para eles, está perdido, o presente é uma angústia e o futuro uma enorme incógnita.

Todos temos o dever de mostrar a estes milhares e cristãos perseguidos que eles não estão sós, que não foram abandonados, que rezamos por eles. O Papa Francisco tem-nos interpelado constantemente sobre isto. “Dirijo-vos uma pergunta; não deveis responder em voz alta, mas só no coração: quantos de vós rezam pelos cristãos que são perseguidos? Quantos? Cada um responda no seu coração.”

Além da oração, a Fundação AIS tem procurado, através da solidariedade dos seus benfeitores e amigos, ajudar estas comunidades cristãs que foram forçadas a fugir dos jihadistas do “Estado Islâmico”.

Só durante o corrente ano, nos primeiros seis meses de 2015, a Fundação AIS já auxiliou estas comunidades com praticamente 2,800 milhões de euros, para a aquisição de bens de primeira necessidade, compra de comida e medicamentos e o aluguer de casas, estando previsto, para o curto prazo, o apoio a mais oito projectos, no valor de aproximadamente 1 milhão de euros.

Nas redes sociais a Fundação AIS está promovendo as hashtags #PrayForIraq #WeAreChristians #6thAugust
________________________
ZENIT