domingo, 5 de junho de 2016

Não quero agradar aos homens, mas a Deus


Inácio, também chamado Teóforo, à Igreja que alcançou misericórdia pela magnificência do Pai Altíssimo e de Jesus Cristo, seu Filho unigénito: à Igreja escolhida e iluminada pela vontade d’Aquele que quis tudo o que existe, segundo a caridade de Jesus Cristo, nosso Deus; à Igreja, que tem a presidência na região dos Romanos, digna de Deus, digna de honra, digna de ser proclamada bem-aventurada, digna de louvor, digna de ser ouvida; à Igreja dignamente pura, que preside à assembleia universal da caridade, que guarda a lei de Cristo e é adornada com o nome do Pai: para ela as minhas saudações em nome de Jesus Cristo, Filho do Pai. Àqueles que aderem de corpo e alma a todos os seus preceitos, indefectivelmente cheios da graça de Deus e isentos de toda a contaminação estranha, eu lhes desejo a mais perfeita e santa felicidade em Jesus Cristo, nosso Deus.

Por fim, depois de tanto pedir ao Senhor nas minhas orações, alcancei a graça de contemplar o vosso rosto, digno de Deus; agora, prisioneiro por amor de Cristo Jesus, espero poder saudar-vos, se a vontade de Deus me julgar digno de chegar até ao fim. Os começos são bons; queira Deus que obtenha a graça de receber, sem qualquer impedimento, a parte da herança que me está reservada. Mas temo que a vossa caridade me venha a prejudicar, porque a vós é fácil obter o que quiserdes, mas a mim ser-me-ia difícil alcançar a Deus, se não tendes piedade de mim.

Não quero que agradeis aos homens, mas a Deus, como já o fazeis. O que é certo é que não encontrarei melhor oportunidade de chegar até Deus, nem vós podereis inscrever o vosso nome nesta obra tão bela, senão permanecendo em silêncio. Se não falardes em meu favor, eu tornar-me-ei palavra de Deus; mas se amais esta minha vida segundo a carne, voltarei a ser apenas uma simples voz. O melhor favor que podeis fazer-me é deixar que seja imolado para glória de Deus, enquanto o altar ainda está preparado; assim, unidos pela caridade num só coro, podereis cantar ao Pai em Cristo Jesus, porque Deus concedeu ao bispo da Síria a graça de O alcançar, fazendo-o vir do Oriente ao Ocidente. É bom que se ponha o sol da minha vida neste mundo, para que volte a nascer na aurora de Deus.


Início da Carta de Santo Inácio de Antioquia, bispo e mártir, aos Romanos
(Inscriptio, 1, 1 – 2, 2: Funk 1, 213-215)       (Sec. I)