segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Papa responde às críticas sobre casamento realizado em pleno voo: "Estavam preparados".


Na primeira cerimônia de tal tipo em um avião papal, Francisco casou Paula Podest Ruiz, de 39 anos, e Carlos Ciuffardi Elorriga, de 41 anos, ambos comissários de bordo da companhia aérea Latam.

Embora o gesto tenha gerado manchetes e tenha sido bem-recebido pela maior parte dos católicos, comentaristas católicos conservadores e blogueiros que frequentemente criticam o papa sobre diversas questões criticaram o casamento a 10 mil metros de altitude.

Eles disseram que isto irá dificultar que padres lidem com casais católicos que querem se casar em locais seculares incomuns, ao invés de uma igreja. Estes casais diriam "o papa fez isto, por que você não pode?", escreveu um comentarista.

Mas o papa disse que a situação do casal chilena é especial porque eles já tinham se casado em uma cerimônia civil há oito anos e não puderam se casar na igreja que frequentavam porque ela desabou em um terremoto em 2010. Não houve bodas. Isto faz 8 ou 10 anos. ‘Sim, amanhã nos casaremos... depois a vida acontece, chega uma filha, depois a outra filha…, nós sempre tivemos isto no coração, mas não nos casamos’”.

“Um de vocês me disse que eu estou louco por fazer estas coisas. Mas foi singelo. O senhor, o homem, estava no meu primeiro voo. Ela não estava. Eu e ele conversamos…, logo me dava conta de que me havia sondado. Falamos da vida, do que eu pensava sobre a vida e a família. Na verdade, foi uma linda conversa”, recordou durante entrevista coletiva no avião durante voo de volta de Lima, onde terminou sua viagem ao Chile e ao Peru, para Roma.

"Eu os perguntei (sobre casamento) e a resposta foi clara... era claro que eles tinham feito um compromisso para vida", disse o papa, acrescentando que o casal havia até mesmo se lembrado de assuntos de cursos católicos pré-matrimoniais que havia frequentado.

“Interroguei-os um pouco, e as respostas eram claras: para toda a vida. ‘E como sabem estas coisas? Vocês têm boa memória da catequese?’. ‘Não, não, não. Nós fizemos o curso de noivos´. Eles estavam preparados. Julguei que estavam preparados”.

Questionado sobre “O que diria aos párocos, aos bispos, quando os noivos peçam casar-se na praia, em um parque ou em um navio”. O Papa respondeu com humor: “imagine só! Cruzeiros com matrimônios?” [...] “Aos párocos digo que estavam preparados, eu julguei que estavam bem preparados”, acrescentou.

“Vi que as condições eram claras e por que não fazer hoje o que se pode fazer hoje? Para que deixar para amanhã já que o amanhã possivelmente seria outros 8 anos. Esta é a resposta. Porque eu julguei que estavam preparados e que sabiam o que faziam. Também um deles havia se preparado diante do Senhor com o sacramento da penitência, e assim eu os casei. E quando chegaram aqui tudo estava pronto e se casaram. Assim foi".

O Papa finalizou sua resposta retornando para a pergunta feita por um dos jornalistas: “o que eu diria aos párocos?”. “Diria-lhes que o Papa os interrogou bem, e depois quando me disseram que tinham feito o curso… Eram conscientes de que estavam em uma situação irregular”.
_____________________
ACI/UOL