terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Morre menino com câncer que realizou seu último desejo: ser sacerdote por um dia


No dia 10 de janeiro, faleceu Brett Haubrich, um menino de 14 anos que padecia de um tumor cerebral inoperável de terceiro grau, o qual conseguiu realizar o seu desejo de ser sacerdote ao menos por um dia.

Em 2015, a organização americana ‘Make-A-Wish’ (Faça um pedido), conhecida por brindar alegria aos menores de 3 a 17 anos com enfermidades graves, ofereceu-se para realizar este pedido especial que foi além de todos os desejos.

“Com grande tristeza, lamentamos a morte de Brett Haubrich, de 14 anos, que morreu em paz em 10 de janeiro à noite, em casa e perto da sua família. Recordamos com carinho o dia em que, conforme o seu desejo, junto com a Fundação ‘Make-A-Wish’, Brett se uniu a 11 seminaristas de Kenrick-Glennon na cerimônia de Lava-pés, na Quinta-feira Santa, como ‘Sacerdote por um dia’”, informou o seminário Kenrick-Glennon da Arquidiocese de Saint Louis (Estados Unidos).

Por sua parte, a mesma Arquidiocese ofereceu orações pela família e pelos entes queridos de Brett: “Dai-lhe Senhor o descanso eterno e que a Luz Perpétua o ilumine. E que as almas de todos os fiéis defuntos, pela misericórdia de Deus, descansem em paz. Amém”. 

A história de Brett

Há três anos, quando perguntaram a Brett, o segundo de quatro irmãos, qual era seu desejo, inicialmente não tinha nenhum. Mas, ao ser perguntado sobre o que ele queria ser quando crescesse, antes de ser médico ou engenheiro, na lista de Brett estava ser sacerdote.

A mãe do garoto, Eileen, entrevistada pelo ‘St. Louis Review’, jornal da Arquidiocese de St. Louis, recordou que seu filho “não queria nada. Tiveram que seguir perguntando ‘onde você gostaria de ir? quer conhecer alguém? o que quer ser quando crescer?’”.

Nesse momento, o menino respondeu sem duvidar “o que realmente desejo é ser sacerdote”.

A ideia inicial foi que Brett pudesse ajudar na Missa de um sábado pela manhã e para isso contataram Pe. Nick Smith, mestre de cerimônias da Catedral de St. Louis. Para a alegria da mãe, sua resposta foi: “Podemos fazer algo melhor do que isso”.

“Por que não fazemos com que venha na Quinta-feira Santa? Ele pode ajudar na Missa do Crisma, e esta noite a Missa sempre é sobre a Eucaristia”, disse o Pe. Smith.

Junto com Pe. Smith, durante a ligação telefônica da família de Brett, estava o Arcebispo de St. Louis, Dom Robert J. Carlson.

“Tudo aconteceu enquanto ele estava do meu lado”, disse o sacerdote, que assegurou que o Arcebispo estava “muito emocionado”.  “Ele estava lançando várias ideias: ‘façamos isto, façamos aquilo’”.

Brett participou tanto na Missa do Crisma como na Missa da Ceia do Senhor, ajudando como coroinha. Além disso, Dom Carlson lavou os seus pés e os pés de 11 seminaristas.

O menino almoçou junto com o Arcebispo depois da Missa do Crisma e jantou com os seminaristas na residência episcopal antes da Missa do Ceia do Senhor.

Foi o Arcebispo que teve a ideia do jantar junto aos seminaristas e da participação deles no lava-pés.

Pe. Smith preparou um programa para esse dia e o entregou pessoalmente a Brett, junto com uma carta assinada por Dom Carlson.

Apesar de seu temor de equivocar-se em alguma parte da Missa, o Arcebispo assegurou que Brett “se saiu muito bem”. Para o menino “foi uma experiência realmente genial”.

A mãe de Brett disse que não se surpreendeu com o desejo do menino de ser sacerdote, pois “durante anos ele amou a Missa e foi muito piedoso”.
“Ele tem um coração tão bom. É um menino muito carinhoso”, disse.

Finalmente Brett assinalou: “Eu gosto de receber o Corpo e o Sangue de Cristo”.
_____________________________________
ACI Digital