quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

"O Papa, seja quem for, é sempre Pedro", afirma o Cardeal Braz de Aviz


Fim de ano, tempo de balanços e análises também no Vaticano. Na quinta-feira (21/12), o Papa se encontrou com os seus colaboradores da Cúria para os votos de Natal e Ano Novo e na ocasião, falou sobre a resistência que tem enfrentado dentro do governo do Vaticano em relação às reformas que quer instaurar.

Francisco criticou o comportamento daqueles que foram nomeados para fazer avançar a reforma, mas que "não compreendem a magnitude de sua responsabilidade" e são "traidores da confiança".

Colaborador próximo do Papa, o cardeal brasileiro João Braz de Aviz está na Curia dirigindo a Congregação que trata dos Consagrados desde 2011. Foi nomeado por Bento XVI e confirmado por Francisco em 2013.

Em sua opinião, Francisco quer uma Igreja que testemunhe o Evangelho sem misturá-lo com critérios mundanos, afirma, entrevistado por Bianca Fraccalvieri, do Vatican News.

“O Papa, seja quem for, é sempre Pedro. Ou somos Evangelho, realmente unidos ao Papa, ou não tem sentido estarmos aqui”. 

“A reforma será mais lenta do que ele pensava, pois reformas começam no coração de cada pessoa. Portanto, é necessário paciência, espera e cuidado, caminhando juntos e para frente”.

Outra consideração do Cardeal Braz de Aviz é em relação à pessoa do Papa: “é claro, não agride e fala com gratuidade; além de ser humanamente maduro e com muita saúde física e lucidez”.
___________________________

News.Va