Adsense Teste

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Iraque: Enfrentamentos armados obrigam cristãos a fugir outra vez da Planície de Nínive


Centenas de cristãos iraquianos que estavam tentando reconstruir suas vidas na Planície de Nínive depois da expulsão do Estado Islâmico (ISIS) foram obrigados a fugir novamente de suas casas diante dos confrontos entre a milícia curda e o exército iraquiano.

Segundo informou o jornal iraquiano ‘Ankawa’, na tarde do dia 24 de outubro, ambos os lados se confrontaram nas aldeias de Bakofa e Teleskuf, também chamada Tesqopa.

Em Teleskuf, esses ataques deixaram dois mortos e vários feridos, incluindo crianças.
Uma fonte que deseja permanecer anônima disse à Fox News que, em Teleskuf, “um emissário do governo iraquiano disse aos habitantes da aldeia que tinham que evacuar antes de amanhecer” e que “o exército iraquiano e a milícia xiita disseram que expulsarão os Peshmerga (milícia curda) de manhã”.

Depois desta ordem, cerca de mil famílias cristãs foram embora. O jornal ‘Ankawa’ assinalou que em Bakofa também fugiram centenas de cristãos.

A maioria dos refugiados dessas duas localidades foi para a cidade de Alqosh, onde a Igreja Católica Caldeia abriu seus templos para acolhê-los e alguns cidadãos ofereceram suas casas para recebê-los.

A organização de ajuda francesa SOS Chrétiens d’Orrient, que realiza projetos a favor dos cristãos no Iraque, assinalou que muitas pessoas que fugiram de Teleskuf tinham voltado para suas casas nos últimos meses, após passar três anos no exílio, depois que o ISIS invadiu a Planície de Nínive.

Embora os cidadãos tenham evacuado a aldeia durante a noite de 24 de outubro, alguns sacerdotes decidiram permanecer no local. Um deles, Pe. Salar Kajo, disse que, “se a guerra chegar novamente na cidade, não sei se as famílias manterão a fé. Isto provavelmente será o fim”.

Diante da incerteza e da dor provocada por esta situação, várias páginas no Facebook, como This is Christian Iraq (Este é o Iraque cristão) e SOS Chrétiens d’Orient, pediram rezar para que Deus conceda a paz à Planície de Nínive e proteja a região da destruição.

Em 25 de outubro, o governo regional do Curdistão emitiu um comunicado no qual anunciou “um cessar-fogo” para os confrontos que aconteceram depois das tensões ante o referendo da independência que realizaram para ser uma nação independente.

Os ataques e confrontos entre as forças iraquianas e os peshmerga começaram em 16 de outubro de 2017, especialmente os confrontos de hoje, causaram danos a ambos os lados e poderiam levar a um contínuo derramamento de sangue, provocando dor e agitação social entre os diferentes componentes da sociedade iraquiana”, indicaram.

Por esta razão, além de realizar “um cessar-fogo e impedir todas as operações militares na região do Curdistão”, também “congelarão os resultados do referendo realizado no Curdistão iraquiano” e “abrirão um diálogo entre o governo regional do Curdistão e o governo federal iraquiano”.

A Fox News assinalou que, depois de ser libertada do ISIS em outubro de 2016, Teleskuf foi considerada como “um modelo para a reabilitação das pequenas aldeias” na Planície de Nínive e que o governo da Hungria tinha investido cerca de dois milhões de dólares para reconstruí-la.
_______________________________________________

Com. Shalom