quarta-feira, 14 de junho de 2017

Santa Clotilde


Clotilde nasceu na cidade de Lion, França, em 475. Seu pai era o rei Childerico de Borgonha. Sua família passou por um momento trágico quando Clotilde era ainda menina. Um tio de Clotilde, irmão do rei, assassinou o pai dela, a mãe e três irmãos e assumiu o trono. Somente duas filhas do casal real não foram mortas. Uma delas era Clotilde.

Clotilde foi entregue aos cuidados de uma tia. Esta a educou na fé católica. Clotilde cresceu e se transformou numa jovem muito bonita, gentil, delicada, sábia e dotada de inteligência excepcional. Tanto, que chamou a atenção de Clodoveu, rei dos francos, que apaixonou-se por ela. Ele pediu a mão de Clotilde em casamento. Ela aceitou. Os dois se casaram e ela veio a se tornar rainha dos francos.

Clotilde era a própria delicadeza, a bondade, a fé e o carinho. Seu marido, porém, era pagão, nervoso, amava a guerra e era cheio de ambição. Em seu coração Clotilde ansiava por, um dia, ver seu marido cristão. Ela sabia que, se isso acontecesse, ele se tornaria mais justo e acabaria com o derramamento de sangue que sempre ocorria nas guerras e conquistas. Por isso, ela iniciou uma vida de oração e paciência, tentando sempre dar bom exemplo cristão. Ao mesmo tempo ela tentava convencer o marido por meio de argumentos, mas conseguia muito pouco. 

Clodoveu, por sua vez, apesar do temperamento, amava Clotilde. O casal teve três filhos. Estes, porém, herdaram a índole belicosa e guerreira, do pai. Quando Clodoveu retornava vivo dos combates, Santa Clotilde ia à igreja agradecer a Deus, e não ao templo pagão que ele frequentava. Ele permitia isso, mas não ia à igreja. Porém, ouvia conselhos e palavras do bispo de Reims, chamado Remígio, hoje santo. Este tinha se tornado amigo pessoal da família e confessor da rainha. 

Aconteceu durante uma terrível batalha contra os alemães, no ano 496. Clodoveu e seu exército estavam perdendo a guerra. Já quase sem esperanças de vitória e temendo o pior, ele se ajoelhou e rezou para Nosso Senhor Jesus Cristo. Naquele momento, prometeu que, se vencesse a batalha, ele se converteria e faria com que todo o seu exército e todo o reino também se convertessem. E a vitória de fato aconteceu.

Após vencer os alemães, Clodoveu unificou o reino dos francos e formou a França. Ele foi sagrado o primeiro rei da França. Cumprindo sua promessa, ele pediu o batismo ao amigo e bispo Remígio. Todos os súditos o seguiram neste ato. Depois, todos os soldados membros do seu exército se fizeram batizar. Depois deles, por toda a corte francesa e seus subordinados. Clodoveu fez da França o primeiro Estado Católico do Ocidente.

Motivado por Santa Clotilde, Clodoveu construiu uma igreja que, primeiramente, chamou-se Igreja dos Apóstolos. Tempos mais tarde ela passou a ser chamada de Igreja de Santa Genoveva, na cidade de Paris. Porém, logo depois de terminar essa construção, Clodoveu faleceu. Pela lei que vigorava na França de então, após a morte do rei, o reino deveria ser dividido entre os filhos homens. E estes eram três.

A partir da morte do marido começou um longo período de dor sofrimento para Santa Clotilde. Seus filhos começaram a travar lutas sangrentas entre si, por causa da divisão do reino. Essas brigas foram causa de várias mortes na família, gerando mágoas e rancores. O sentimento cristão e amoroso de Santa Clotilde não suportou. Por isso, ela foi morar na cidade de Tours, num local perto do túmulo de são Martinho. Lá, ela continuou sua vida de oração. Ali também construiu igrejas, hospitais para os pobres e mosteiros para os religiosos. 

Após trinta e quatro anos nesta vida viel, Santa Clotilde, a “Rainha Santa”, como ficou conhecida, faleceu. Era o dia 3 de junho do ano 545. Seus filhos estavam presentes. Logo após sua morte, a fama de santidade de Santa Clotilde se espalhou por toda a França. Seu culto foi autorizado pela Igreja e ela se tornou uma referência para os franceses e para os católicos. Muitos alcançaram graças através de sua intercessão e sua história passou a ser contada.


Ó Deus, que destes a Santa Clotilde a graça de permanecer fiel a ti mesmo estando no centro do mais alto poder de uma nação, dai também a nós a graça da fidelidade a vós e ao vosso amor em todas as situações de nossa vida, por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo, amém. Santa Clotilde, rogai por nós.