Adsense Teste

sábado, 3 de junho de 2017

Bispo atacado pelo lobby gay: "Não deixarei de ensinar a doutrina católica".


O Bispo de Solsona, na Espanha, Dom Xavier Novell, vítima de insultos e protestos do lobby gay, assegurou que continuará “apresentando sem medo a visão cristã da pessoa”.

Em uma nota publicada no site da Diocese de Solsona, Dom Novell disse: “Não vejo nada a corrigir nem me amedrontaram as ameaças políticas”.

O Prelado espanhol sofreu um violento protesto do grupo LGTBI (lésbicas, gays, transexuais, bissexuais e intersexuais) ao sair da paróquia de Santa Maria del Alba, em 28 de maio. O Bispo teve que sair do templo escoltado pela polícia, devido à agressividade dos manifestantes.

Assim o lobby gay respondia a um fragmento da mensagem do dia 21 de maio de Dom Novell, na qual o Bispo se perguntava “se o fenômeno crescente da confusão na orientação sexual de muitos adolescentes não se deve ao fato de que na cultura ocidental a figura do pai estaria simbolicamente ausente, desviada, desvanecida, inclusive a masculinidade estaria questionada”.

Dom Novell também recebeu críticas de ativistas e políticos partidários da ideologia de gênero.

A prefeitura de Solsona publicou no Twiter uma mensagem expressando o seu “rechaço às infelizes manifestações do Bispo Xavier Novell”, reafirmou o seu “total apoio às famílias monoparentais e ao grupo LGTBI” e lamentou que “Solsona seja associada a tal opinião retrógrada”.

Em seu recente comunicado, Dom Novell expressou a sua inquietude de consciência “se alguém se sentiu ferido ou culpado pelas minhas palavras e pela insistência de alguns a considerar o meu silêncio prejudicial para a convivência social e para a Igreja”.

“Não pretendia ofender ninguém”, assegurou, mas pediu “desculpas aos pais e mães que ficaram magoados. Recebi telefonemas e cartas de alguns e lamento por que se sentiram julgados pela minha pergunta”.

“Do mesmo modo, agradeceu as pessoas que entenderam de maneira correta que eu não vinculava exclusivamente nem diretamente a homossexualidade e a ausência da figura paterna”, assinalou.

O Prelado sublinhou que “não discriminou ninguém nem feriu nenhum direito pessoal” e assinalou que “as acusações de homofobia que fizeram contra mim são falsas”.

Dom Novell também destacou: “Estou totalmente convencido, como a Igreja diz, de que toda pessoa é digna de respeito, independentemente da sua raça, nacionalidade, religião e orientação sexual”.

No final da sua mensagem, o Bispo espanhol assinalou: “A minha intenção não foi gerar um conflito aberto com os defensores da ideologia de gênero, mas não deixarei de defender o direito dos pastores da Igreja de ensinar a doutrina católica, protegidos pela liberdade de expressão e pela liberdade religiosa”.

“Por isso, sem dúvida nenhuma, continuarei apresentando sem medo a visão cristã da pessoa e as suas consequências morais”, concluiu.
___________________________
ACI Digital