Adsense Teste

segunda-feira, 13 de março de 2017

Sacerdote escreve a jovem que parodiou “aborto” da Virgem Maria


Uma carta dirigida à jovem argentina que parodiou o “aborto” da Virgem Maria comoveu as redes sociais, não só porque o seu autor, um sacerdote, repreende a feminista por ter atacado a Mãe de Cristo, mas também porque assegura que caso se arrependa de coração, o “sangue do Filho de Maria pode renová-la e limpá-la”.


"Marina: Não é fácil escrever. Uma mistura de indignação e tristeza invade minha alma, bem como as centenas de milhares e talvez milhões de argentinos.

Uma mistura de indignação e tristeza que, desta vez, não é fácil serenar.

Porque para qualquer argentino, atacar a sua mãe é algo muito grave.

E você já atacou a minha, a nossa, a Mãe do Povo Argentino, incluindo daqueles que hoje, confusa ou inconsciente de seu rosto e seu colo, não se sintam assim.

E, embora, nesta altura dos fatos quase nada nos surpreende, devo dizer que desta vez o delito blasfemo ultrapassou todos os limites. Uma blasfêmia com todos os inconfundíveis sinais diabólicos, por sua malícia, sua maldade, e acima de tudo por ódio Maria.

E, paradoxalmente, essa mulher que parodiaste é, como mulher e como mãe, certamente a mais esplêndida defesa do feminino.

Nunca a mulher esteve em um lugar tão alto na história como aquela manhã em Nazaré, quando Maria, humilde filha de Israel, ofereceu seu corpo e toda a sua existência ao plano salvífico de Deus.

Nunca antes nem depois a mulher realizou um ato tão decisivo no curso dos tempos, como quando ela deu à luz, em uma caverna escura, ao que seria a luz do mundo.

Uma mulher nunca foi tão influente, tão valorizada, tão exaltada, como quando ela - sim, essa da qual você zombou -, de pé junto ao Filho Bendito de seu ventre – a quem ousaste representar abortado – uniu suas dores de mãe ao Sacrifício Redentor, levando seu Sim ao extremo, sem reservas, sem medidas.

O que você fez não é só um pecado, mas também um crime. E por isso, para a educação das novas gerações, para que o mal não fique impune, para que o nosso povo não acredite erroneamente que tudo é possível, pedimos e exigimos às autoridades uma punição exemplar.

Ao mesmo tempo, apesar de achar que é difícil, apesar de nossas entranhas se contorcerem de indignação, sabemos que o menino que se atreveste a imaginar não nascido nos ensinou: "amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem".  

Enquanto exigimos justiça, exigimos respeito por nossa fé e pessoas que amamos, enquanto pedimos que se detenha a demência e a anarquia quando se trata de ofender aos católicos, elevamos uma oração para você, e para todas as mulheres que como você, não conseguem nos compreender.

Marina, na imagem horrível que você representou e que todos puderam ver, há sangue. Sangue da mãe, mas também do Filho. O sangue derramado no momento da morte, mas que também é um símbolo da vida.

Esse sangue que você representou com desprezo irônico é sua esperança, a nossa esperança. Para onde aumentou o pecado, a graça superabundou. Porque esse sangue clama com mais força que o de Abel. Porque Jesus o derramou por teus pecados e os meus.

Não conheço a tua história. É possível que o amor verdadeiro e gratuito não tenha visitado a tua vida, é provável que você ainda não tenha conseguido experimentar a beleza do Rosto e do Amor de Jesus.

Mas eu quero que você saiba que, se por um momento você abrir a sua alma; Se você deixar de lado o orgulho, se humildemente reconhecer o seu pecado, se te arrependeres de coração... o Sangue do Filho de Maria pode renovar-te e purificar-te.

Deixe-me dizer-lhe também que a mulher, cuja maternidade jovem que veio a salvação e a vida, cujo nascimento virgem é o início da nova criação. Ela está esperando por você. Ela já te perdoou. Há um lugar para você em seu colo. Como para todos nós, todos os dias nós chamamos, dizendo: "Roga por nós pecadores".

Deixe-me dizer-lhe, finalmente, o grande segredo que sustenta a todos os que amam e defendem a vida dos não-nascidos: A VIDA VENCERÁ. Nem todo o ódio no mundo, nem todas as astúcias do mal, nem os poderes terrestres tramados contra ela, podem derrotá-la. Na verdade, A VIDA JÁ VENCEU. Na manhã de domingo, com a vitória da Páscoa, a Vida alcançou uma vitória decisiva, apenas esperando para se manifestar plenamente quando Jesus voltar.

Enquanto isso, aqueles que amam e defendem a vida, seguiremos firmes na brecha, ainda que pareça que estamos perdendo por goleada. Porque o amor e a esperança nos sustentam. Pois a fé nos diz: "o que fizerdes aos mais pequenos, a Mim o fizestes" E porque Ele prometeu: "Eu estarei convosco até o fim do mundo".



Pe. Leandro Bonnin