Adsense Teste

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Papa alerta para as tentações do “dinheiro, prazer e poder”


Papa Francesco
ANGELUS
Praça de São Pedro 
domingo, 26 de fevereiro, 2017


Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

O Evangelho de hoje (cf. Mt 6,24-34) é um forte apelo a confiar em Deus - não se esqueça: confiar em Deus - que cuida dos seres vivos na criação. Ele fornece comida para todos os animais, cuida dos lírios e grama do campo (cf. vv 26-28.); seu olhar benevolente vigia constantemente nossas vidas. Isso ocorre sob o cuidado com muitas preocupações, que podem assumir serenidade e equilíbrio; Mas essa ansiedade é muitas vezes inútil, porque ela não pode mudar o curso dos acontecimentos. Jesus nos chama insistentemente para não se preocupar com o amanhã (cf. vv 25.28.31.), lembrando que, acima de tudo há um Pai amoroso que nunca se esquece de seus filhos: confiança nele não vai resolver magicamente os problemas, mas vamos enfrentá-los com o estado de espírito correto, corajosamente, sou corajoso porque eu confio no meu Pai, que cuida de tudo e que me deseja tanto bem.

Deus não é distante e anônimo: é o nosso refúgio, a fonte de nossa serenidade e nossa paz. Ele é a rocha da nossa salvação, a que podemos agarrar-se na certeza de não cair; aqueles que se agarram a Deus nunca caem! É a nossa defesa do mal sempre à espreita. Deus é o nosso grande amigo, o aliado, o pai, mas nem sempre levamos em conta. Não nos damos conta de que temos um amigo, um aliado, um pai que nos ama, e nós preferimos inclinar-nos sobre os bens imediatos que podemos tocar, aos ativos contingentes, esquecendo-se, e às vezes recusando-se, ao bem supremo, o amor paterno de Deus. Ouvindo o Pai, nesta era de orfandade, é tão importante! Para ouvir o Pai neste mundo órfão, ficamos longe do amor de Deus quando vamos para a busca obsessiva de bens materiais e riquezas, manifestando-se, assim, um amor exagerado a estas realidades.

Jesus nos diz que essa busca desesperada é uma ilusão e causa de infelicidade. Ele dá aos seus discípulos uma regra essencial da vida: "Mas buscai primeiro o reino de Deus" (v 33). É a realização do projeto que Jesus anunciou no Sermão da Montanha , confiando em Deus que não desilude - muitos amigos ou muitos que nós pensamos ser amigos, falharam conosco; Deus nunca desilude! -; ocupado como fiéis mordomos dos bens que Ele nos deu, exageramos, como se tudo, até mesmo a nossa salvação dependesse apenas de nós. Esta atitude evangélica requer uma escolha clara, que a passagem de hoje diz precisamente: "Não podeis servir a Deus e ao dinheiro" (v 24). O Senhor ou os ídolos fascinantes, mas ilusórios. Esta escolha, que somos chamados a fazer se repercute em muitos de nossos atos, programas e compromissos. São escolhas que devem ser feitas de uma forma clara e que devem ser renovadas constantemente, porque a tentação de reduzir tudo a dinheiro, prazer e poder é insistente. Existem muitas tentações para este fim.

Enquanto honrar esses ídolos leva a resultados tangíveis ainda que fugaz, para escolher a Deus e seu Reino nem sempre mostra imediatamente seus frutos. É uma decisão que você toma na esperança de deixar a Deus a plena realização. A esperança cristã é tensa para o futuro cumprimento da promessa de Deus e não para diante das dificuldades, porque é fundada sobre a fidelidade de Deus, que nunca falha. É verdade, é um Pai fiel, ele é um amigo leal, um aliado leal.

Que a Virgem Maria nos ajude a confiar no amor e bondade do Pai celeste, para viver n'Ele e com Ele. Este é o pré-requisito para superar os tormentos e adversidades da vida, e até mesmo perseguição, como demonstrado pelo testemunho de tantos dos nossos irmãos e irmãs.

Depois do Angelus

Queridos irmãos e irmãs,

Dirijo uma cordial saudação a todos os peregrinos de Roma, Itália e outros países.

Saúdo os fiéis polacos em Varsóvia e em outros lugares que fizeram uma peregrinação; e em Espanha os de Ciudad Real e a juventude de Formentera.

Saúdo os jovens de Cuneo, Zelarino, Rolo e Malcesine, Fino Mornasco e Monteolimpino; os candidatos de Cavenago d'Adda, Almenno San Salvatore e Serravalle Scrivia; os fiéis de Ferrara, Latina, Sora, Roseto degli Abruzzi, Creazzo e Rivalta sul Mincio.

Saúdo o grupo que veio por ocasião do "Dia das doenças raras" - obrigado, muito obrigado por tudo o que fazem - e espero que os pacientes e suas famílias sejam devidamente apoiados neste caminho difícil, ambos os campos de aplicação da medicina e de direito.

Desejo a todos um bom domingo. Por favor, não se esqueça de orar por mim. Bom almoço e adeus!
______________________________

Traduzido de Santa Sé