quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

O Verbo do Pai embeleza, ordena e contém todas as coisas


O Pai de Cristo, santíssimo e imensamente superior a todas as coisas criadas, como ótimo timoneiro, pela sua sabedoria e pelo seu Verbo, Cristo nosso Senhor e Salvador, governa, dispõe e executa sempre todas as coisas de modo conveniente, como Lhe parece justo. Ninguém certamente negará a ordem que observamos na criação, porque Deus assim o quer. Se a criação se movesse ao acaso e sem ordem, nenhuma fé mereceriam estas afirmações. Mas se, pelo contrário, o mundo foi criado com ordem, sabedoria e prudência, e foi ornado de toda a beleza, temos necessariamente de admitir que o seu autor e artífice não é senão o Verbo de Deus.

Refiro-me ao Verbo de Deus vivo e operante, do Deus bom do universo; ao Verbo que é distinto de todas as coisas criadas e que é o Verbo próprio e único do Pai; ao Verbo cuja providência ilumina todo o mundo presente por Ele criado. É Ele, o Verbo bom do Pai bom, que dispõe ordenadamente todas as coisas, conciliando entre si os elementos contrários e compondo-os em perfeita harmonia. É o Deus único e unigênito, o Deus bom que procede do Pai, fonte de toda a bondade, e que embeleza, ordena e contém o universo.

Aquele que pelo seu Verbo eterno criou o universo e a todas as coisas deu uma natureza, não quis abandonar as suas criaturas à deriva e às flutuações da natureza, para que não voltassem ao nada; mas na sua bondade, governa e sustenta a criação por meio do seu Verbo, que também é Deus, a fim de que, iluminada pelo governo, providência e direção do Verbo, permaneça firme e estável, e desse modo, tornando-se participante do Verbo do Pai, seja por Ele ajudada para que não deixe de existir. Isso certamente aconteceria, se não fosse conservada pelo Verbo, que é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criatura. Por Ele e n’Ele subsistem todas as coisas, visíveis e invisíveis, e Ele é a cabeça da Igreja, como ensinam os ministros da verdade na Sagrada Escritura.

O onipotente e santíssimo Verbo do Pai, que está presente em todas as coisas, desenvolve por toda a parte a sua virtualidade, ilumina toda a realidade e tudo contém e abrange em Si mesmo. Nada escapa à influência do seu poder. Em tudo e por toda a parte, a cada coisa em particular e ao universo em geral, é Ele que dá a vida e a conserva.


Do Tratado de Santo Atanásio, bispo, «Contra os pagãos»

(Nn. 40-42: PG 25, 79-83) (Sec. IV)