Adsense Teste

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

O Papa Francisco saúda Donald Trump, o novo presidente dos Estados Unidos


O Papa Francisco expressou hoje sua saudação a Donald Trump, oficializado como o 45º presidente dos Estados Unidos em Washington D.C., ao meio-dia (hora local) de hoje, 20 de janeiro.

Em uma mensagem publicada esta tarde, o Santo Padre assinalou que “após sua inauguração como o quadragésimo quinto presidente dos Estados Unidos da América, ofereço-lhe meus cordiais bons desejos e a garantia de minhas orações para que Deus Todo-poderoso lhe conceda sabedoria e fortaleza no exercício de seu alto cargo”.

“Em uma época em que nossa família humana é atingida por graves crises humanitárias que demandam respostas previsoras e politicamente unidas, rezo para que suas decisões sejam guiadas pela rica espiritualidade e os valores éticos que deram forma à história do povo americano e o compromisso de sua nação pelo avanço da dignidade humana e a liberdade em todo mundo”.

O Papa expressou seu desejo de que, sob o governo Trump, “o tamanho dos Estados Unidos siga sendo medido sobre tudo por suas preocupações pelos pobres, marginados e os necessitados quem, como Lázaro, ficam perante a nossa porta”.

“Com estes sentimentos, peço ao Senhor que conceda a você e à sua família, e a todo o amado povo americano, suas bênçãos de paz, concórdia e toda a prosperidade material e espiritual”, concluiu o Papa Francisco. 

Leia a íntegra do discurso de posse do presidente Donald Trump, em português 
(tradução não-oficial)

"Chefe de Justiça Roberts, presidente Carter, presidente Clinton, presidente Bush, presidente Obama, colegas americanos e pessoas do mundo, obrigado.

Nós, os cidadãos da América, estamos agora unidos em um grande esforço nacional para construir nosso país e restaurar sua promessa para todo o nosso povo.

Juntos, iremos determinar o curso da América e do mundo por muitos, muitos anos. Enfrentaremos desafios, confrontaremos dificuldades. Mas faremos o serviço.

A cada quatro anos nos reunimos nesta escadaria para conduzir a ordeira e pacífica transferência de poder.

E somos gratos ao presidente Obama e à primeira-dama Michelle Obama por sua graciosa ajuda durante essa transição.

Eles foram magníficos.

Obrigado

A cerimônia de hoje, no entanto, tem um significado muito especial porque hoje não estamos apenas transmitindo o poder de uma administração a outra ou de um partido ao outro, mas estamos transferindo o poder de Washington, D.C., e o devolvendo a vocês, o povo.

Por muito tempo, um pequeno grupo na capital de nossa nação colheu as recompensas do governo enquanto o povo assumiu o custo. Washington floresceu, mas o povo não compartilhou sua riqueza. Políticos prosperaram mas os empregos foram embora e as fábricas fecharam.

O sistema se protegeu, mas não aos cidadãos de nosso país. As vitórias dele não foram as suas vitórias. O triunfo dele não foi o de vocês. E enquanto eles celebravam em nossa capital, havia pouco para celebrar para famílias em dificuldade ao redor de todo o país.

Tudo isso muda, começando aqui e agora, porque este momento é seu momento.

Ele pertence a vocês.

Ele pertence a todos reunidos aqui hoje e todos assistindo em todos os Estados Unidos.
Este é seu dia.
Esta é sua celebração.
E este, os Estados Unidos da América, é seu país.

O que realmente importa não é qual partido controla nosso governo, mas se nosso governo é controlado pelo povo.

20 de janeiro de 2017 será lembrado como dia em que o povo se tornou o comandante desta nação novamente.

Os homens e mulheres esquecidos de nosso país não serão mais esquecidos. Todos estão ouvindo vocês agora. Vocês vieram aos milhões para se tornar parte de um movimento histórico, do tipo que o mundo nunca viu antes.

Ao centro deste movimento está uma convicção crucial de que uma nação existe para servir aos seus cidadãos. Americanos querem ótimas escolas para seus filhos, vizinhanças seguras para suas famílias e bons empregos para si.

Essas são demandas justas e razoáveis de pessoas direitas e de um público direito.

Mas, para muitos de nossos cidadãos, uma realidade diferente existe.

Mães e crianças presas na pobreza das zonas carentes de nossas cidades, fábricas enferrujadas espalhadas como lápides pela paisagem de nosso país.

Um sistema educacional cheio de dinheiro, mas que deixa nossos jovens e belos estudantes desprovidos de conhecimento.

E o crime as gangues e as drogas que roubaram tantas vidas e roubaram tanto potencial não realizado de nosso país. Essa carnificina americana acaba aqui e acaba agora.

Somos uma única nação, e a dor deles é nossa dor.

Os sonhos deles são nossos sonhos, e o sucesso deles será nosso sucesso. Dividimos um único coração, um lar e um glorioso destino.

O juramento do cargo que faço hoje é um juramento de lealdade a todos os americanos.

Por muitas décadas enriquecemos a indústria estrangeira às custas da indústria americana, subsidiamos os exércitos de outros países enquanto permitíamos ao muito triste esgotamento de nosso poder militar.

Nós defendemos as fronteiras de outros países enquanto nos recusamos a defender as nossas próprias. E gastamos trilhões e trilhões de dólares além mar, enquanto a infraestrutura dos Estados Unidos caiu em degradação e deterioração.

Nós tornamos outros países ricos enquanto a riqueza, a força e a confiança do nosso país se dissipou no horizonte.

Uma por uma, as fábricas fecharam e deixaram nosso solo sem nem pensar nos milhões e milhões de trabalhadores americanos que foram deixados para trás.

A riqueza da nossa classe média foi arrancada de suas casas e depois redistribuída ao redor do mundo. Mas isso é o passado, e agora nós estamos olhando só para o futuro.

Nós reunidos aqui hoje estamos emitindo um novo decreto a ser ouvido em todas as cidades, em todas as capitais estrangeiras e em todos os corredores do poder. Deste dia em diante, uma nova visão vai governar nossa terra.

Deste dia em diante, vai ser só a América primeiro, a América primeiro. Todas as decisões sobre comércio, sobre taxas, sobre imigração, sobre relações exteriores será feita para beneficiar os trabalhadores americanos e as famílias americanas. Devemos proteger nossas fronteiras das devastações dos outros países fazendo nossos produtos, roubando nossas empresas e destruindo nossos empregos.

A proteção vai levar a grande prosperidade e força. Vou lutar por vocês com todo o fôlego do meu corpo, e nunca vou decepcionar vocês.

A América vai começar a vencer de novo, vencer como nunca antes.

Vamos trazer de volta nossos empregos.

Vamos trazer de volta nossas fronteiras.

Vamos trazer de volta nossa riqueza, e vamos trazer de volta nossos sonhos.

Vamos construir novas estradas e rodovias e pontes e aeroportos e túneis e ferrovias ao redor da nossa nação maravilhosa.

Vamos tirar nosso povo do seguro-desemprego e colocá-los de volta ao trabalho, reconstruindo nosso país com mãos americanas e trabalho americano.

Vamos seguir duas regras simples: Comprar [produtos] americanos e contratar americanos.

Vamos procurar amizade e boa vontade com as nações do mundo, mas vamos fazer isso com o entendimento de que é o direito de todas as nações colocar seus próprios interesses em primeiro lugar.

Nós não buscamos impor nossa maneira de viver sobre ninguém, mas, em vez disso, deixar que ela brilhe como um exemplo.

Vamos brilhar para todos nos seguirem.

Nós vamos reforçar alianças antigas e formar novas e unir o mundo civilizado contra o terrorismo radical islâmico, que vamos erradicar completamente da face da Terra.

No alicerce das nossas políticas haverá uma lealdade total aos Estados Unidos da América, e através de nossa lealdade ao nosso país nós vamos redescobrir nossa lealdade um ao outro.

Quando você abre seu coração ao patriotismo, não há lugar ao preconceito.

A Bíblia nos diz o quão bom e agradável é quando o povo de Deus vive junto em unidade. Devemos falar abertamente, debater nossos desentendimentos honestamente, mas sempre buscar a solidariedade. Quando a América está unida, a América não pode ser parada. Não deve haver medo. Estamos protegidos e sempre estaremos protegidos. Seremos protegidos pelos grandes homens e mulheres de nossas forças armadas e da aplicação da lei. E mais importante, sempre seremos protegidos por Deus.

Finalmente, devemos pensar grande e sonhar ainda maior. Na América, entendemos que uma nação só vive enquanto estiver se esforçando. Não iremos mais aceitar políticos que são apenas discurso e nenhuma ação, constantemente reclamando, mas nunca fazendo nada a respeito.

O tempo para conversas vazias acabou. Agora chega a hora da ação.

Não permitam que ninguém diga a vocês que isso não pode ser feita. Nenhum desafio pode equivaler ao coração, e à luta e ao espírito da América. Não iremos falhar. Nosso país irá crescer e prosperar novamente.

Estamos perante o nascimento de um novo milênio, prontos para desbloquear os mistérios do espaço, para libertar a terra das misérias da doença, e controlar as energias, indústrias e tecnologias de amanhã.

Um novo orgulho nacional irá nos agitar, elevar nossas vistas e curar nossas divisões. É hora de lembrar daquele ditado que nossos soldados nunca esquecerão, de que não importa se somos, negros, de outra cor ou brancos, todo sangramos o mesmo sangue vermelho dos patriotas.

Todos desfrutamos das mesmas gloriosas liberdades e saudamos a mesma grande bandeira americana.

E se uma criança nasce num subúrbio de Detroit ou nas planícies varridas pelo vento de Nebraska, elas olham para o mesmo céu à noite, elas enchem seus corações com os mesmos sonhos e são insufladas com a brisa da vida pelo mesmo poderoso criador.

Então a todos os americanos, em todas as cidades próximas e distantes, de montanha a montanha, de oceano a oceano, ouçam estas palavras: vocês nunca serão ignorados novamente. Sua voz, suas esperanças e sonhos irão definir nosso destino americano. E sua coragem, bondade e amor irão para sempre nos guiar pelo caminho.

Juntos iremos tornar a América forte novamente, tornaremos a América rica novamente, faremos a América orgulhosa novamente e faremos a América segura novamente.

E, sim, juntos iremos tornar a América grande novamente.

Obrigado.

Deus abençoe vocês.

E Deus abençoe a América."
_______________________________

ACI Digital / G1