Adsense Teste

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

EUA: Recém-nascido abandonado em Catedral é achado pelo sacristão e logo batizado


Na noite de 4 de janeiro, Nathan Leonhardt estava fechando a Catedral de São Paulo, em Minneapolis, no estado de Minnesota (Estados Unidos), quando encontrou algo inesperado: um bebê recém-nascido. Quando o sacerdote da igreja viu a criança, não perdeu tempo e logo decidiu batizá-la.

O recém-nascido foi tirado rapidamente da Catedral, mas não antes que o Padre Ubel pudesse batizá-lo. Ele fez isso com o nome de Nathan John. "Eu senti que era a coisa mais apropriada a fazer", disse o padre Ubel. 

“Fiquei sem palavras. Fiquei congelado durante 10 segundos, embora acredite que foi mais tempo”, comentou Leonhart, guarda da Catedral, ao Catholic Herald. “Escolheram um bom lugar para deixá-lo. É uma igreja e nós gostamos das crianças”.

"Eu também senti, honestamente, que, novamente, quem fez isso, por qualquer motivo, eu não vou julgar", disse Leonhart, "mas eles se sentem adequados para levar a criança para uma igreja católica".

A polícia local recebeu uma ligação informando que um bebê havia sido abandonado na Catedral. O sargento Charlie Anderson indicou que “todos os que participamos desta chamada ficamos imediatamente apaixonados” pelo menino.

Segundo indicou Anderson a CBS Minnesota, “neste trabalho, vemos muito o lado ruim das pessoas. Violência, morte e destruição. É lindo ter uma chamada como esta a cada certo tempo, recorda-nos porque usamos a placa policial”.

Leonhardt estava verificando as portas como de costume antes de trancar depois da missa.

Quando ele viu pela primeira vez a cesta verde depois de bater com uma porta, ele não pensou muito. Ele planejou abordá-lo depois de verificar mais portas, mas algo o fez voltar e olhar através dos poucos itens na cesta.

Foi então ele ouviu um choro.

"Eu meio que congelei e fiquei lá", Leonhardt disse, perguntando se ele poderia estar ouvindo um bebê ou se poderia ser um cachorro. Depois de aproximar-se da cesta, ele viu a cabeça do bebê.

"Eu não sabia o que fazer no momento", lembrou Leonhardt. "Eu estava em choque."

Ele disse que envolveu o bebê e chamou o padre Ubel, segurando o bebê até que o padre chegou.

O padre Ubel chamou o 911 e os homens levaram a criança para a sacristia da igreja e trancaram a porta até que o Serviço de Emergência chegasse. A espera não foi longa.

"Eles fizeram o que tinham que fazer, e foi isso, o bebê foi embora", disse Leonhardt. - E já sinto saudades dele.

Enquanto esperava a chegada da polícia, o Pe. Ubel batizou o bebê e o chamou de Nathan John, o mesmo nome do guarda da Catedral que o encontrou. O sacerdote espera que o menino seja adotado por uma família católica.

“O fato de que esta criatura tenha sido abandonada em uma igreja católica não é um detalhe insignificante para mim”, expressou o sacerdote.

Este caso foi algo muito especial para o sargento Anderson, que se casou na Catedral de São Paulo, onde participou de alguns seminários há alguns anos. Também tem três filhos e, para ele, este chamado “tocou o seu coração”.

Quando a polícia chegou à Catedral, asseguraram que o bebê estivesse quente, pois nos Estados Unidos estão em pleno inverno, antes de levá-lo ao hospital. Anderson contou que os policiais se uniram em um abraço grupal para que o menino permanecesse quente.

Depois de levar o bebê ao hospital, os oficiais decidiram comprar coisas essenciais para ele e as enviaram ao local.

“Compramos macacões, uma cadeirinha, botas, um chapéu de macaco e um brinquedo de girafa que os meus filhos adoraram”, contou Anderson. 

Nathan Leonhardt, o guardião da Catedral de São Paulo, descreve encontrar um bebê abandonado deixado lá.

O bebê nasceu prematuro, pesava aproximadamente 1,26 quilogramas. Agora, está são e salvo e sob o cuidado dos Serviços de Proteção das Crianças do Condado Ramsey.

"Eu também senti, honestamente, que, quem fez isso, por qualquer motivo, eu não vou julgar", disse Leonhardt, "mas sentiu adequados levar a criança para uma igreja católica".

A polícia não abriu uma investigação sobre o caso e o sargento Anderson quer que a mãe saiba que ela não está com problemas.

A lei estadual de refúgio seguro permite que as mães dêem seus filhos recém-nascidos dentro de sete dias do nascimento para um hospital, a uma facilitadora de cuidado urgente, ou para chamar 911 e alertar autoridades do local da criança.

Apesar de a igreja não estar caindo sob esses parâmetros, a comissária dos Serviços Humanos do Minnesota, Emily Piper, pediu à mãe da criança que não temesse ser processada ou hesitasse em procurar assistência médica, dizendo que deixar o menino na Catedral não era um crime.

Piper disse que 10 bebês foram salvos em Minnesota em 2015 por meio da lei, e no ano passado havia três crianças salvas a partir de 20 de dezembro, enfatizando uma maior conscientização da lei.

Ela concordou com o Padre Ubel que a intenção era clara para dar vida à criança deixando-a na igreja, e exortou a mãe a obter atendimento médico, se necessário. "E eu espero que ela tenha paz com a decisão que ela tomou", disse Piper.

O padre Ubel disse aos meios de comunicação que a igreja faria tudo o que estava ao seu alcance para ajudar as pessoas a fazer a escolha pela vida. "É um daqueles dias que eu nunca vou esquecer", disse ele.

O bebê era tudo o que ele podia pensar sobre a noite toda depois que os paramédicos o levaram embora, então ele foi ao hospital para tentar verificá-lo, e até sonhou com ele na noite de quarta-feira. Ele disse que estava feliz em receber um telefonema quinta-feira de autoridades confirmando que o recém-nascido estava OK.

Anderson espera ver o bebê novamente e disse que lembrará deste incidente para sempre. “Sempre pensarei nele. E espero que algum dia tenha a oportunidade de vê-lo, não posso pensar em nada melhor”.
_______________________________________

ACI Digital / Life Site News