Adsense Teste

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Sobre a conversão...


Segundo os Evangelhos, Jesus nosso Senhor anunciou e trouxe a este mundo o Reinado do Pai, convidando Seus ouvintes à conversão. Esta, a conversão, é uma ideia central do cristianismo. 

Mas, que significa, realmente, converter-se?

Mudar de rumo, mudar de atitude, de modo de ver, sentir, pensar, agir...

Mas, gostaria de colocar outra questão:

Qual o critério da conversão?

Em outras palavras: se para alguém converter-se, deve mudar de uma atitude para outra, qual o critério de tal mudança?

Como saber o que mudar e para qual direção apontar?

Uma vez mais: qual o critério?

O critério é a Palavra de Deus revelada em Jesus Cristo e anunciada, geração após geração, pela Igreja, sustentada pelo Espírito do Cristo ressuscitado.

Somente escudando o Senhor, Nele pensando, contemplando-O, observando Seus modos, Sua vida, Suas atitudes, Seus apelos, apreendendo Seus sentimentos, comungando com Ele nos sacramentos por Ele instituídos na Sua Igreja, somente assim, abertos para o Senhor, poderemos perceber o que Ele espera de nós, a que destino, a que objetivo nos quer levar.
Olhando o Senhor e, depois, nos olhando, descobrimos a defasagem entre o que Ele espera de nós e o que nós somos de fato.

À Sua luz contemplamos a luz verdadeira e percebemos nossas incoerências, infidelidades e egoísmos...

Nasce, daí e aí, a compunção, aquela dor no coração, aquele aperto na alma, por não termos sido generosos para com Deus. O coração compungido é o coração ferido de amor, de pesar por não ter sido fiel ao Deus que tanto nos ama. Brota, então, o sincero arrependimento e o verdadeiro pedido de perdão, sem máscaras, sem desculpas esfarrapadas: Senhor Jesus Cristo, tem piedade de mim, pecador!
Agora, sim, sabe-se donde sair: de mim apegado a mim, de mim atolado em mim, de mim à minha medida; e sabe-se para onde ir: para o Cristo, com os modos de Cristo, os sentimentos de Cristo, os critérios de Cristo, à medida de Cristo, o Homem Perfeito. Converter-se, portanto, para os cristãos, é converter-se a Cristo, é dirigir-se a Ele com toda a existência nossa.

Não há outra finalidade na conversão a não ser alcançar Cristo;
não há outro critério que não chegar a ser como Jesus Cristo;
não há também, no cristianismo, outra conversão!
Assim sendo, o viver cristão é um viver em êxodo, em saída de mim para Cristo!

Já se falou em converter-se aos pobres, converter-se a tal pensamento, converter-se a tal atitude.

Para um cristão, há uma só conversão: a Jesus Cristo! Qualquer nossa opção, qualquer nosso querer, qualquer nossa mudança, quaisquer correções que façamos na nossa vida, devem ter sempre e somente um escopo: chegar a Jesus, ser-Lhe fiel, segui-Lo de perto e no Seu coração descansar.

Assim sendo, para falar como os teólogos, a conversão é uma realidade eminentemente cristológica e cristocêntrica!

Cristológica porque tem como critério e conteúdo o Cristo;
cristocêntrica porque é um caminhar para Ele, para Sua Pessoa bendita, numa vida de seguimento, de discipulado em relação ao Senhor, único Mestre e Critério nosso.

Então, como diz a meninada: vai encarar?
É a condição indispensável para ser cristão...Parte superior do formulário



Dom Henrique Soares da Costa

Bispo de Palmares, PE