Adsense Teste

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Sermão da Intolerância


A verdade é intolerante com a mentira, pelo fato de que a primeira exclui a segunda. Assim como a falsa mãe aceita o filho cortado ao meio, a falsa religião se contenta em ver a a Verdade despedaçada e aceita todo um aglutinado de inverdades, com a intenção de destruir o que é reto.

O cardeal Pie assim o expõe de forma clara no famoso sermão da intolerância.

“A religião que vem do céu é verdade, e é intolerante com relação às doutrinas errôneas; a religião que vem do céu é caridade, e é cheia de tolerância quanto às pessoas.” 

“Faz parte da essência de toda a verdade não tolerar o princípio que a contradiz. A afirmação de uma coisa exclui a negação dessa mesma coisa, assim como a luz exclui as trevas. Onde nada é certo, onde nada é definido, podem-se partilhar os sentimentos, podem variar as opiniões. Compreendo e peço a liberdade de opinião nas coisas duvidosas: in dubiis, libertas. Mas, logo que a verdade se apresenta com as características certas que a distinguem, por isso mesmo que é verdade, ela é positiva, ela é necessária, e por conseguinte ela é una e intolerante: in necessariis, unitas. Condenar a verdade à tolerância é condená-la ao suicídio. A afirmação se aniquila se duvida de si mesma, e ela duvida de si mesma se admite com indiferença que se ponha a seu lado a sua própria negação. Para a verdade, a intolerância é o instinto de conservação, é o exercício legítimo do direito de propriedade. Quando se possui alguma coisa, é preciso defendê-la, sob pena de logo se ver despojado dela.”


Louis-Édouard Cardinal Pie (1815-1880),
bispo de Poitiers e mentor de S. Pio X
___________________________________

Claro Vale: Sub Tuum Praesidium