Adsense Teste

domingo, 27 de novembro de 2016

Mensagem de bispo à mãe de bebê abandonada em lixeira impacta as redes


O Bispo da Diocese de São Sebastião, na Espanha, Dom José Ignacio Munilla, se pronunciou em sua conta no Twitter sobre o caso de uma menina recém-nascida que foi abandonada no dia 22 de outubro em uma lixeira da cidade.

“Querida mãe, embora não devesse ser assim, obrigado por dar à luz esta menina!”, disse o Bispo de São Sebastião.

O Prelado acrescentou ao final da mensagem a hashtag “#BienvenidaDonostiarra” (Bem-vinda Donostiarra), que é o modo como se chamam as pessoas que pertencem à cidade de São Sebastião, capital da província de Gipuzkoa.

Por sua vez, a deputada de Políticas Sociais de Gipuzkoa, Maite Peña, detalhou que a menina se encontra “em perfeito estado de saúde” e passará a viver com uma família de acolhida de urgência ao término de suas evoluções médicas no Hospital Donostia.

Do mesmo modo, assegurou que é “impossível compreender os motivos que podem levar alguns pais a atuar dessa forma tão cruel e desumana, ainda mais quando Gipuzkoa conta com um sistema de proteção à criança que pode dar resposta imediata e de qualidade a situações como a que pode ter levado a este caso”.

Dom José Ignacio Munilla sempre foi um forte defensor do direito à vida. Em 18 de fevereiro deste ano, através do Twitter, postou as palavras do Papa Francisco sobre o aborto: “O aborto não é um mal menor: é um crime. É descartar um para salvar o outro. É aquilo que a máfia faz”. 

Além disso, em março de 2014, o Bispo escreveu uma carta pastoral na qual assinalava que não se pode “aceitar que a cada ano no País Basco haja 4000 abortos, que os preconceitos não nos impeçam de pensar, sentir e olhar de frente o drama do aborto e tenhamos um debate real, livre desses preconceitos (...) A causa da vida é pré-política e está acima de qualquer ideologia”.

Fez também um apelo à adoção com palavras de Santa Teresa de Calcutá: “Em vez de matá-lo, dê a mim”, e “enquanto houver aborto, não haverá paz no mundo”.

Em outra ocasião, em março de 2013, o Bispo denunciou que o aborto é um “massacre de inocentes” e um “holocausto silencioso”.

Nesse sentido, exortou a “dignificar” a adoção, ao mesmo temo que recordou o compromisso da Cáritas de ajudar as mães gestantes em situação de pobreza.
_________________________________

Rádio Vaticano