Adsense Teste

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Homilética: Dedicação da Basílica do Latrão (9 de novembro): "Somos templos vivos".


Evidentemente, o templo é um lugar de encontro do homem com Deus, é o lugar consagrado a Deus onde os fiéis se reúnem para dar-lhe culto. O templo é tão antigo como o homem. Em todas as civilizações, em todas as culturas das que temos notícia, aparece, com toda certeza, o templo. É lógico. O homem é um ser sociável e sensível: necessita coletiva e materialmente ter um lugar onde se aproximar de Deus, um lugar no qual o seu Deus receba culto e onde pode pacífica e serenamente falar com ele. São João, cuja festa nós celebramos neste domingo, é o primeiro grande templo cristão construído em Roma pelo imperador Constantino no Latrão, depois das perseguições, no século IV; é a catedral do Papa como bispo de Roma. A Basílica de Latrão é a igreja-mãe de Roma, dedicada primeiro ao Salvador e depois também a São João Batista. Foi consagrada pelo papa Silvestre no ano 324.

Pontos da ideia principal

Textos: Ezeq 47:1-2, 8-9, 12; 1 Coríntios 3:9-11, 16-17; João 2:13-22

Em primeiro lugar, a Basílica de são João de Latrão é símbolo da unidade de todas as comunidades cristãs de Roma e nos lembra de que, todos nós estamos construídos sobre o mesmo alicerce de Jesus Cristo. Cada um de nós participa na construção da igreja. Santo Agostinho recomenda: “Quando recordemos a Consagração de um templo, pensemos naquilo que disse São Paulo: Cada um de nós é um templo do Espírito Santo”. Esta celebração foi primeiramente uma festa da cidade de Roma; mais tarde se estendeu a toda a Igreja de rito romano, com o fim de honrar aquela basílica, que é chamada “mãe e cabeça de todas as igrejas da Urbe e do Orbe”, como sinal de amor e de unidade para com a cátedra de Pedro que, como escreveu Santo Inácio de Antioquia, “preside a todos os congregados na caridade”.

Em segundo lugar, Deus está em todas as partes e não só nos templos que os homens edificam. Porém, já desde o Antigo Testamento Deus ensina o seu povo a importância dos lugares santos consagrados a Ele. Aqui, onde estamos reunidos agora celebrando a Eucaristia, quantas coisas importantes aconteceram! Com certeza que muitos dos presentes foram batizados neste templo, e iniciaram assim o seu caminho cristão. Muitos também receberam aqui a primeira comunhão e desde aquela primeira vez continuaram participando cada domingo na Missa. Talvez também, receberam aqui a Crisma, ou celebraram o seu matrimônio. E mais de uma vez vieram para dizer adeus, e para rezar, por algum parente ou amigo defunto. Ou entraram aqui para rezar diante do Sacrário. Este templo é um sinal visível de tudo isto e todas as igrejas que nos lembram de que Deus está presente no meio dos homens e participa de todas as nossas vicissitudes. 

Finalmente, todos nós fomos consagrados “templos de Deus” no dia do nosso batismo. Por essa razão todo homem merece respeito, estima, valorização. “Se alguém destrói o templo de Deus, Ele o destruirá porque o templo de Deus é santo: esse templo são vocês”. Cada homem e cada mulher são sagrados. Não podemos converter o nosso irmão em escravo ou servidor nosso, em alguém que não sabemos perdoar, compreender, ajudar. Ninguém é um instrumento, um produtor ou um objeto de prazer para nós. Cada homem e cada mulher, seja varredor de rua ou artista de cinema, seja um governante ou um operário sem trabalho, seja um velho ou uma criança, seja um executivo triunfante ou um incapacitado, seja uma mulher cheia de beleza ou uma mulher feia, seja um policial ou um terrorista, todos são “sagrados”, são templos de Deus. Merecedores de todo amor, de todo respeito, de toda compreensão.

Para refletir: Conservemos a nossa alma bela e limpa, como é de agrado a Deus que sejam os seus templos santos. Assim viverá contente o Espírito Santo na nossa alma. O Templo é, em primeiro lugar, o coração do homem que acolheu a Sua Palavra. Embora rezar em casa deve ser uma prática diária, não é suficiente. Jesus quis nos salvar do pecado, não por separado, mas unidos como um povo. Por isso instituiu a Igreja, a qual se congrega no templo.

Para rezar: Senhor, que a Eucaristia de hoje nos faça viver mais intensamente os alicerces da nossa fé. Que sempre que entrarmos nesta igreja, ou em qualquer outra igreja, ou sempre que passarmos na frente da mesma, se renovem estes alicerces. Sobretudo devemos dar frutos no cumprimento dos mandamentos, especialmente do mandamento “novo” da caridade que é o alicerce que sustem a Igreja fundada por Cristo.


Pe. Antonio Rivero, L.C.,
Doutor em Teologia Espiritual, professor e diretor espiritual no seminário diocesano Maria Mater Ecclesiae de são Paulo (Brasil). Qualquer sugestão ou dúvida podem se comunicar com o padre Antonio neste e-mail: arivero@legionaries.org
___________________________________

ZENIT