Adsense Teste

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Encontram sacrário e âmbulas roubadas na Argentina, mas não hóstias consagradas


A paróquia Nossa Senhora de Lourdes (Argentina), localizada na diocese de Concórdia, fronteira com o Uruguai, sofreu o roubo do sacrário com ambulas e hóstias consagradas no último dia 15 de novembro. Segundo o pároco, Pe. Daniel Petelín, foram encontrados o sacrário e as ambulas, mas as hóstias não estavam com eles.

Em declaração ao Grupo ACI, o pároco explicou que comerciantes dedicados à compra e venda de objetos usados foram ontem até a Paróquia para devolver os objetos litúrgicos que tinham adquirido sem saber sua procedência.

“Eles são católicos, não sabiam do fato e não pediram nenhuma recompensa”, manifestou o Pe. Petelín.

As câmeras de segurança registraram o ladrão que ainda não foi identificado. As autoridades seguem com a investigação do caso.

O sacerdote também disse que solicitou ao juiz informações para “encontrar as hóstias e saber o que fizeram com elas”.

Sobre o roubo, Pe. Petelín disse ao Grupo ACI que “está claro que foi com objetivo de obter dinheiro” e manifestou que o responsável poderia ser um jovem com problemas com drogas.

A notícia do roubo impactou a cidade de Concórdia devido ao trabalho social que a Paróquia realiza: um refeitório para 360 pessoas, jardim de infância para 50 crianças, merenda escolar, um lar para idosos, cesta básica para 240 famílias, entre outros

O roubo, indicou o sacerdote, “não é algo comum, não é algo frequente e não é algo que aceitamos sob nenhum aspecto. Estamos muito consternados”.

Pe. Petelín disse à comunidade que este roubo “não foi (precisamente) um ato contra a Eucaristia, mas essencialmente para obter dinheiro”.

“Seguimos valorizando a presença de Jesus e é preciso seguir trabalhando com entusiasmo e alegria para que o Senhor siga atuando, curando e fortalecendo; e levando vida a todas as pessoas”, finalizou.

Através de um vídeo, o Bispo de Concórdia, Dom Luis Armando Collazuol, pediu que os “fatos sejam investigados com profundidade e com rapidez” e que todas as comunidades realizem atos de desagravo e perdão.

“Sentimos uma profunda dor espiritual por este acontecimento, sentimos uma grande tristeza e indignação, porque a Eucaristia é o maior tesouro que temos, o maior tesouro da Igreja”, manifestou Dom Collazuol. 

Dom Collazuol pediu orações pelos responsáveis deste roubo, “para que através do arrependimento, da conversão, possam obter a misericórdia e o perdão de Deus que os espera”.

Este fato, concluiu o Prelado, deve “ser uma oportunidade de crescer no nosso amor a Jesus Eucaristia. Para que Ele continue abençoando este povo que peregrina, continue a nos abençoar e acompanhar em nosso caminhar cristão. Por isso, peço a todos para que rezemos a nosso Senhor a fim de conseguir a sua bênção”.
_________________________________

ACI Digital