quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Um só bispo com o presbitério e os diáconos


Inácio, também chamado Teóforo, à Igreja de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo estabelecida em Filadélfia da Ásia, que alcançou misericórdia e está firmemente consolidada na concórdia que vem de Deus, cheia de júbilo pela sua fé na paixão do Senhor e inteiramente confiada na misericórdia que Deus manifestou na ressurreição de Jesus Cristo. Saúdo no sangue de Cristo essa Igreja que será sempre para mim fonte de alegria eterna, principalmente se os fiéis permanecerem em perfeita união com o bispo, com os presbíteros e com os diáconos, colaboradores do bispo, nomeados segundo o desígnio de Cristo e estavelmente confirmados pelo seu Espírito Santo, segundo a própria vontade do Senhor.

Sei que o vosso bispo não obteve o ministério de governar a comunidade por si mesmo ou por meio dos homens ou por vanglória, mas pela caridade do Pai e do Senhor Jesus Cristo. Fiquei muito impressionado com a sua modéstia: é mais eloquente com o seu silêncio do que muitos outros com seus vãos discursos. Os mandamentos de Deus encontram nele uma perfeita consonância, como as cordas na cítara. Por isso a minha alma o felicita pelos seus sentimentos para com Deus; conheço bem a sua virtude e grande santidade; a sua constância e mansidão são como um reflexo da bondade de Deus vivo.

Como filhos da luz e da verdade, evitai a divisão e as doutrinas perversas; para onde vai o pastor, devem segui-lo as ovelhas.

Todos os que pertencem a Deus e a Jesus Cristo estão em comunhão com o bispo; e todos os que se arrependem e voltam à unidade da Igreja pertencerão também a Deus, para viverem segundo Jesus Cristo. Não vos enganeis, meus irmãos. Quem segue um promotor de cisma não herdará o reino de Deus; e quem professa doutrinas alheias à fé não toma parte na paixão de Jesus Cristo.

Procurai, portanto, participar na única Eucaristia, porque uma só é a Carne de Nosso Senhor Jesus Cristo; um só é o cálice que nos une em seu Sangue; um só é o altar e um só é o bispo com o presbitério e os diáconos, meus colaboradores no ministério. Desta forma, tudo o que fizerdes será feito segundo a vontade de Deus.

Meus irmãos, eu sinto um profundo amor por vós e é com grande alegria que tento encorajar-vos; não sou eu, porém, quem vos fortifica, mas Jesus Cristo. Por Ele me encontro preso, mas sinto muita pena por não ser ainda perfeito. Confio, no entanto, que as vossas orações me alcançarão de Deus a perfeição, a fim de obter a herança que a sua misericórdia me destinou. Confio no Evangelho como na Carne de Cristo e nos Apóstolos como no presbitério da Igreja.


Da Carta de Santo Inácio de Antioquia, bispo e mártir, aos Filadélfios
(1, 1 – 2, 1; 3, 2 – 5: Funk 1, 226-229) (Sec. I)